Paulo Garcia pode apostar no reitor Wolmir Amado para prefeito de Goiânia

Paulo Garcia e o reitor | Reprodução

Paulo Garcia e o reitor Wolmir Amado| Reprodução

O reitor da Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Wolmir Amado, é um homem do establishment da Igreja Católica. Tanto que está há anos no comando da PUC. Ao mesmo tempo em que opera a segunda mais importante unidade de ensino superior do Estado, Wolmir participa politicamente do PT. No partido, é uma figura discreta, mas está sempre em contato com seus integrantes mais importantes. Aliados sublinham que o prefeito de Goiânia, Paulo Garcia, tem dito que o PT deve lançar um “candidato-surpresa” à sua sucessão. Especula-se muito sobre nomes. Nelcivone Melo, um dos secretários mais ligados ao prefeito, é um dos possíveis postulantes. No entanto, nos últimos tempos, Wolmir Amado estaria sendo o nome mais apontado.

Por que Wolmir Amado? Por cinco motivos, pelo menos. Primeiro, é bem avaliado pela sociedade civil de Goiânia. Segundo, não tem desgaste político algum, o que o ajudaria a não atrair o desgaste do PT nacional. Terceiro, é visto como menos político do que como um personagem decisivo da educação em Goiás, não apenas em Goiânia. Quarto, por não ser um petista ortodoxo, poderia atrair, como o ex-reitor da UFG Edward Madureira, votos de não petistas. Quinto, é um nome respeitado na cúpula da Igreja Católica — o que pode atrair apoio político dos setores diversificados da sociedade goianiense.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.