Parte do secretariado de Caiado sai até o fim do mês. Confira os nomes dos favoritos

Prioridade do senador é por uma secretariado mais técnico, mas políticos também devem ocupar espaço no governo

José Vitti é lembrado para o Detran e para a Agehab | Foto: arquivo

O governador eleito de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), deve co­me­çar a divulgar parte do secretariado daqui a uma ou duas semanas. Pri­­oridade do senador é por uma secretariado mais técnico, mas políticos (com algum perfil técnico) também devem ocupar espaço no governo. No momento, a prioridade é a transição porque é importante para o começo de seu governo. Com os dados em mãos, a oscip Comunitas vai formular um projeto de curto, médio e longo prazo para o governo. Mas as especulações continuam sobre os nomes. Há quem diga, entre os aliados, que o presidente do DEM já deveria ter indicado pelo menos os secretários da Fazenda e da Casa Civil. Lista colhida entre os aliados do democrata:

Agência da Habitação (Agehab) — O deputado José Vitti tem sido citado.

Agência Brasil Central — Cotados: Paulo Beringhs, Tony Carlo, Vassil Oliveira, Cileide Alves, Érika Lettry, Eduardo Horácio e Filemon Pereira. O primeiro é o mais cotado, embora um aliado de Caiado frise que a preferência é mais por um gestor. Nenhum listado tem este perfil.

Agetop — Wilder Morais ou Lincoln Tejota. Aliados de Caiado sublinham que o senador do DEM prefere ser ministro do governo do presidente eleito Jair Bolsonaro ou secretário de Governo de Ronaldo Caiado. E há quem aposte que Tejota vai ficar apenas como vice. A Agetop, no momento, não tem recursos.

Agência Goiana de Regulação (AGR) — Ana Maria Baiocchi. O nome da executiva seria bancado pelo empresário Odilonzinho Santos, do setor de transporte coletivo.

Agricultura — O mais cotado é Bartolomeu Braz, vice-presidente da Federação da Agricultura de Goiás. Seria a indicação do deputado federal eleito José Mário Schreiner (DEM), presidente da Faeg. Braz é presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho. Hugo Goldfeld (depois de devolver a Govesa para os alemães da Volkswagen, estaria mais interessado num polo de modas no centro de Goiânia) e Antônio Chavaglia, da Comigo, chegaram a ser citados.

Casa Civil — Anna Vitória Gomes Caiado. Seu nome já foi citado também para a Controladoria. É apontada como competente, exigente e linha dura (em termos éticos). É filha de Ronaldo Caiado.

Chefe de Gabinete — Marcos Cabral, prefeito de Santa Terezinha de Goiás. É amigo e aliado histórico de Ronaldo Caiado. Chegou a ser citado para a Agetop — por ser um líder municipalista — e para a Saneago. É da cota pessoal do governador eleito.

Cidadania — George Morais é considerado como o nome certo. Marido da deputada federal Flávia Morais, é presidente do PDT. Ressalta: pretende ser candidato a prefeito de Trindade, o que pode barrar sua indicação. A cúpula do pedetismo pediu o cargo.

Cidades e Meio Ambiente — Xequinho Portilho pode ser a aposta do Fórum Empresarial. A secretaria estaria, segundo empresários, travando o crescimento da economia. E é tida como “lenta” e “burocrática”.

Comunicação — Lívio Luciano, Tony Carlo, Vassil Oliveira, Érika Lettry e Marcos Caiado. Paulo Beringhjs é vetado pelo senador eleito Jorge Kajuru, diz aliado de Caiado. Se Lívio Luciano não for para a Fazenda, é o mais cotado. Porque é o único gestor do grupo.

Cultura — Glacy Antunes estaria confirmada. Mas três nomes têm sido lsitados: Edival Lourenço, Marcos Caiado e Aguinaldo Coelho Caiado. Marcos Caiado não quer ocupar cargos (mas deve auxiliar, de maneira indireta, o primo Ronaldo Caiado). Marcos Caiado é lembrado inclusive para a Comunicação. A amigos diz que prefere ficar fora do governo.

Detran — O nome mais cotado é o do deputado estadual José Vitti. Ele tem conversado com Ronaldo Caiado e já foi do DEM.

Educação — O professor Manoel Barbosa, presidente do Podemos, é cotado. “É qualificado”, afirma o deputado federal eleito José Nelto. Milca Severino não estaria interessada e Lúcia Vânia tem sido citada. Há quem aposte que no indicado será um professor da UEG.

Esporte — Um deputado ligado a Ronaldo Caiado afirma que o Pros pode bancar o deputado estadual eleito Vinicius Cirqueira.

Fazenda — Lívio Luciano, Wilder Morais e Mauro Ricardo Machado Costa. Dos três, o que mais entende dos assuntos da Sefaz em Goiás é o primeiro. “Encaixaria como uma luva”, afirma um auditor fiscal. Ana Carla Abrão prefere ficar no mercado financeiro, em São Paulo. Pode até atuar como consultora.

Governo — Samuel Belchior, mesmo tendo sido sondado, tem dito que não quer ocupar cargo no governo. Ele teria um acordo com sua mulher de que não aceitará mais cargos públicos. Prefere ficar como consultor informal, e sem receber salário. Ele é empresário do ramo de loteamentos. Adib Elias tem sido mencionado, mas também tem dito que prefere ficar na Prefeitura de Catalão, porque recebeu 70% dos votos. Marcos Cabral, do grupo íntimo de Caiado, tem sido apontado.

Imprensa — Tony Carlo é o nome mais cotado (é o João Bosco Bittencourt de Ronaldo Caiado). Mas, se for para a Agecom, abre espaço para Vassil Oliveira, Érika Lettry, Fabiana Pulcineli, Alexandre Parrode (da cota de Lincoln Tejota) ou Cileide Alves.

Indústria e Comércio — Benjamin Beze Jr. (pode ser a indicação de Jorge Kajuru e representa Anápolis). Ele já foi secretário da Indústria e Comércio. Edwal “Xequinho” Portilho e o presidente da Federação das Associações Comerciais e Industriais do Estados de Goiás (Facieg), Ubiratan da Silva Lopes, aparecem nas listas. Têm o apoio do Fórum Empresarial. Vale sublinhar que Caiado tem dito que seu governo não será loteado para grupos empresariais e políticos.

Junta Comercial de Goiás (Juceg) — O médico Silvio Fernandes, ao organizar a previdência da Prefeitura de Goiânia, mostrou que tem perfil de gestor.

Planejamento — Wilder Morais. Se quiser, o cargo é seu. Fábio Cammarota, da Fundação Dom Cabral, deve ficar como consultor do governo.

Saneago — Lincoln Tejota. Mas o vice-governador pode indicar um aliado. Há quem diga que suas relações com Ronaldo Caiado já foram melhores.

Saúde — Adib Elias é lembrado. Mas, se aceitar cargo, prefere a Secretaria de Governo ou a Secretaria de Cidadania. Há mais nomes listados: Silvio Fernandes, Paulo do Vale (se tiver coragem de deixar a Prefeitura de Rio Verde), Dr. Antônio, Deusdedith Vaz (nome sugerindo por Lincoln Tejota). Vaz conhece bem a secretaria.

Segurança Pública — O delegado aposentado Eurípedes Barsanulfo, empresário do setor de vigilância, é cotado. Mas a amigos tem dito que não será secretário. Delegado Waldir Soares, deputado federal, Eduardo Prado, delegado e deputado estadual eleito, têm sido lembrados. Assim como o deputado federal João Campos e o deputado estadual Major Araújo. A indicação pode sair de uma conversa com o presidente eleito Jair Bolsonaro, que sugeriu o nome de um deletado federal para o governador eleito do Distrito Federal, Ibaneis Rocha. Sugestão rapidamente acatada.

Superintendência da Mulher — Rosi Guimarães, presidente do Partido da Mulher Brasileira (PMB), é o nome mais mencionado.

Tesouro — Por ser auditor fiscal, Lívio Luciano é cotado para o Tesouro. Mas também para a Sefaz.

Turismo — Carlos “Cacai” Toledo (cunhado de Sebastião Tejota e amigo de Caiado) é de Anápolis. Seu nome também é citado para a Indústria e Comércio.

1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Eduardo Lucas

“Da cota” daqui, “da cota” dali, “bancado” por tal, etc. Um secretariado todo manjado pelos goianos. Perdendo uma oportunidade de fazer linearmente certo como o Presidente.