“O foco de Caiado é avançar”, diz Wilder Morais

Com o fim da eleição, o objetivo agora é colocar em prática o projeto que o governador eleito apresentou aos goianos

Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

Responsável direto pela equipe de transição do governo José Eliton (PSDB) para o de Ronaldo Caiado (DEM), o senador Wilder Morais (DEM) destaca que o sentimento de toda a equipe que irá assumir o governo de Goiás para os próximos quatro anos é de “transparência e avanço”.

Assim que Caiado anunciou Wilder como principal coordenador, juntamente com a empresa Comunitas, o grupo recebeu críticas pelo fato de Wilder ser político, e não um técnico, como o governador eleito anunciara que seria a sua equipe de transição.

Wilder, de imediato, rebate à crítica dizendo que, com 800 mil votos, ele passa, sim, a ser um político, pois tem responsabilidade para com esse eleitor, mas que a sua história de vida foi galgada em uma administração de sucesso. “Quando decidi disputar a reeleição para o Senado, sempre afirmei que caso não fosse eleito senador, voltaria para o mercado empresarial. Agora, tendo sido o terceiro mais bem votado, com 800 mil votos, acredito que o eleitor entendeu a minha mensagem e deseja que eu permaneça na política. A partir do momento que conquistei eleitores, pessoas que acreditaram nas minhas propostas políticas, passo a ter uma responsabilidade maior sobre elas.”

Até o dia 30 de novembro, o senador irá entregar o estudo final realizado em conjunto com a Comunitas. A previsão é de um corpo técnico, composto por aproximadamente dez pessoas, que irá, com base em informações técnicas da atual gestão, juntamente com os projetos que o governador eleitor pretende realizar, esboçar um caminho para colocá-los em prática. “Como estive ao lado de Caiado durante todo o processo eleitoral, conheço exatamente os principais compromissos de campanha. Além do meu conhecimento por já ter sido secretário. A partir desse estudo, Caiado terá uma radiografia exata para que ele possa colocar em prática as ações políticas, ou seja, o projeto de governo que ele defendeu em campanha, e também fazer as escolhas certas sobre quem buscar para cada secretaria”, acrescenta Wilder Morais.

Sobre o seu futuro político, ele insiste que estará à disposição de Ronaldo Caiado, o que, necessariamente, não precisa ser uma secretaria. “Caiado entende que a eleição acabou. Agora, precisamos agir para colocar em prática o melhor projeto que acreditamos ser para Goiás. Tenho certeza que iremos encontrar ações positivas do governo que agora termina. Um corpo técnico já existente de funcionários de carreira muito competente. Então, não existe por parte do governador eleito, um sentimento de perseguição. O foco de Caiado é avançar. Mostraremos o que há de positivo e negativo no governo a partir do dia 1º de janeiro com muita tranquilidade.”

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.