Foto: reprodução

O governador de Goiás, Marconi Perillo, do PSDB, esteve na sexta-feira, 18, em Brasília. O tucano foi convocado pela cúpula nacional do PSDB para participar de uma avaliação política da crise institucional que abala o país.

Os tucanos ouviram Marconi Perillo com atenção. Acostumado a lidar com crises, o tucano-chefe não se abala e, sobretudo, sugere que é preciso avaliar o quadro com atenção e não de maneira apressada. Sua ponderação agradou as cabeças coroadas do tucanato.

O governador goiano frisa que, no momento, é preciso pensar grande. O que isto significa? Pensar fundamentalmente no país, que inicia a retomada do crescimento da economia, depois de medidas acertadas do governo do presidente Michel Temer e do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles.

A geração de mais empregos, com a consequente redução do desemprego, está acima de determinados temas. Por isso a crise, mesmo profunda, precisa ser avaliada com mais descortino e agudeza.

Se a crise institucional abalar ainda mais a economia, quem mais vai sofrer são os brasileiros — da classe média para baixo.

O Brasil e, portanto, os brasileiros são, afinal, mais importantes do que a crise.