Marconi arma arapuca pra Mendanha com o objetivo de usá-lo pra tentar ressurgir na política de Goiás

Reunião com prefeitos organizados por Perillo pode ser relevante para o ex-governador mas tende a ser irrelevante para o ex-prefeito de Aparecida de Goiânia

O ex-governador Marconi Perillo, do PSDB, articulou uma associação de ex-prefeitos com o objetivo de criar uma estrutura política suprapartidária cujo objetivo é criar uma candidatura com alguma consistência para enfrentar o governador de Goiás, Ronaldo Caiado, do União Brasil.

Na segunda-feira, 25, a frente de ex-prefeitos vai se reunir, no escritório político de Marconi Perillo, em Goiânia, para pressionar Gustavo Mendanha (Patriota) e Jorcelino Braga, presidente do Patriota, a aceitarem uma composição com o tucano-chefe.

O desenho da chapa seria o seguinte, de acordo a estratégia do tucanato: Mendanha para governador e Perillo para senador.

Se comparecer ao encontro dos ex-prefeitos, no escritório de Perillo — local escolhido a dedo —, Mendanha estará dando “o” sinal de que fechou, ou está fechando, uma aliança com o tucano. Mesmo que não esteja, é a imagem que se cristalizará.

Noutras palavras, o encontro de segunda-feira é uma armadilha — uma verdadeira arapuca — para tentar “fisgar” Mendanha, para forçá-lo a se definir em relação a Perillo.

Se Mendanha comparecer ao escritório, onde será fotografado ao lado de Perillo, estará dando um sinal de que, finalmente, fechou uma aliança com o veterano tucano. Ou seja, terá caído no ardil do ex-governador. Terá aceitado sua pressão.

Marconi Perillo, Gustavo Mendanha e José Eliton: o jogo é bom pra quem? | Foto: Reprodução

Porém, se Mendanha não comparecer, pegará mal para Perillo e acólitos. Porque ficará praticamente definido que o ex-prefeito de Aparecida de Goiás, seguindo o pensamento de Jorcelino Braga e o próprio, seguirá outro projeto político.

Mendanha tem se mantido afastado de Perillo porque apoiá-lo, ou aceitar seu apoio, não é um passo adiante, e sim um recuo histórico. Uma aliança com o tucano sugere que o ex-prefeito está embarcando num projeto que ficou 20 anos no poder em Goiás — de maneira ininterrupta.

O jovem ex-prefeito é mais astuto do que imagina a vã filosofia dos sábios (ou “çábios”, segundo Elio Gaspari) do PSDB. Por isso sabe que Marconi planeja usá-lo para “ressurgir” na política de Goiás. Noutras palavras, uma aliança entre os dois pode ser “positiva” para o tucano e “negativa” para o integrante do Patriota.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.