Major Araújo diz que Álvaro Guimarães erra ao ser candidato de Caiado e não dos deputados

O parlamentar critica os incentivos fiscais e sugere cortes mais duros do que os propostos por Ronaldo Caiado

Fotos: reprodução

O deputado estadual Major Araújo (PRP) afirma que não conhece o delegado aposentado da Polícia Federal Rodney Miranda, que vai assumir a Secretaria de Segurança Pública no governo de Ronaldo Caiado (DEM). “A Polícia Militar tem uma certa preocupação porque o governador do Espírito Santo, Paulo Hartung, combateu uma greve dos militares com extremo rigor e Rodney Miranda, como secretário de Segurança, encampou a reação dura do gestor.”

A respeito da escolha do comandante da PM de Goiás, Major Araújo afirma que falou com Ronaldo Caiado. “Ele me disse que vai esperar a chegada do secretário de Segurança para discutir nomes. Assim que Rodney Miranda estiver em Goiás, o governador eleito afirma que vai discutir com ele os nomes dos indicados pelas entidades.”

A respeito dos incentivos fiscais, Major Araújo afirma que é favorável a um corte mais radical do que o que está sendo proposto por Ronaldo Caiado. “Em Goiás os incentivos não cumprem sua finalidade, porque não geram empregos e renda na proporção anunciada. Sacrifica-se receita para beneficiar empresas. A renúncia fiscal no Estado é uma das maiores do país. Goiás gasta mais com incentivos fiscais do que, por exemplo, Bahia, Espírito Santo e Distrito Federal. O custo-benefício é negativo para o governo, para os goianos. A Unilever recebeu incentivos fiscais, poluiu Goiânia e, em seguida, foi embora. Ou seja, não tem compromisso com Goiás. A indústria do etanol é incentivada, traz trabalhador de fora e, ainda assim, o governo tem de arcar com tudo. A Suzuki recebeu incentivos, não rendeu impostos e empregos e fechou as portas em Itumbiara, onde recebeu terreno e tinha isenção de taxas. Falei a respeito com a economista Ana Carla Abrão, quando era secretária da Fazenda do governo de Goiás. A empresa transferiu sua produção para Catalão, onde fica a Mitsubishi, e não pagou multa rescisória. O deputado Álvaro Guimarães afirma que, na prática, a Suzuki nunca se instalou em Itumbiara.”

Major Araújo frisa que não desistiu de ser presidente da Assembleia Legislativa, mas admite que suas chances não são altas. “A eleição na Assembleia parte do oferecimento de vantagens pessoais para deputados e eu não faço isto. Lancei meu nome, mas estou com dificuldade para sustentar a candidatura, pois não dou conta de concorrer com os métodos de outros políticos que estão pleiteando. Álvaro Guimarães diz que é o candidato ‘de’ Caiado. Por isso não o apoio. Nada contra Caiado, mas o Poder Legislativo não deve se submeter ao Executivo — deve ser autônomo. Álvaro Guimarães serviu 20 anos aos governos de Marconi Perillo e, se eleito, os marconistas manterão influência na Assembleia.”

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.