Ligação de Erenice Guerra com o grupo goiano Rialma é investigada

Segundo a revista “Época”, a empresa teria pago propina para liberar mais de 500 milhões de reais

ERENICE GUERRA foto 1 de seu facebook

O repórter Murilo Ramos, editor da coluna “Expresso”, da revista “Época”, revelou na segunda-feira, 2, que tanto o Ministério Público Federal quanto a Polícia Federal estão atentos às relações da ex-ministra Erenice Guerra com o grupo goiano Rialma.

A aliada da presidente Dilma Rousseff tem sido alvo de várias denúncias.

O relato de Murilo Ramos: “Investigadores estão atentos aos serviços prestados por Erenice Guerra ao Grupo Rialma, de Goiás.O grupo já apareceu nas investigações do Ministério Público Federal. Há indícios de ter pago propina para garantir a liberação de recursos, mais de R$ 500 milhões, do fundo FI-FGTS”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.