Lêda Borges teme perder e pode lançar filho para prefeito de Valparaíso

PSD quer emplacar Marcelo Sorriso, o PP vai de Afrânio Pimentel e o DEM planeja bancar Paulo Roriz. Pábio Mossoró está em ascensão

Lêda Borges: se perder para prefeita, terá dificuldade de se reeleger deputada estadual | Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

O PSD sondou Marco Túlio, filho da deputada Lêda Borges (PSDB), para disputar a Prefeitura de Valparaíso, no Entorno de Brasília. Ex-diretor da Saneago, ele não bateu o martelo. Talvez seja vice de Afrânio Pimentel, o pré-candidato do PP bancado pelo ex-ministro Alexandre Baldy. O PSD tenta, no momento, convencer o dentista Marcelo Sorriso a disputar a prefeitura. Há quem aposte que Sorriso vai ser candidato a vereador.

Pábio Mossoró, prefeito de Valparaíso, conta com o peso da máquina e amplo apoio político | Foto: Fernando Leite/ Jornal Opção

Lêda Borges quer disputar a prefeitura, sobretudo por birra contra o prefeito Pábio Mossoró (que trocou o PSDB pelo MDB, bancado pelo ex-deputado federal Daniel Vilela e pelo deputado federal Célio Silveira, do PSDB). Ao mesmo tempo, teme ser derrotada por aquele que considera como sua “criatura”. O rompimento entre os dois pegou bem para Pábio Mossoró — que provou que não tem medo de ninguém, nem dos coronéis locais — e muito mal para Lêda Borges. Porque ficou claro que ela queria ser deputada estadual e, ao mesmo tempo, prefeita — tentando impedir que Pábio Mossoró, eleito pelo voto popular, fosse o prefeito de fato. A parlamentar levou um chega-pra-lá.

Afrânio Pimentel: aposta de Alexandre Baldy | Foto: Reprodução

Pábio Mossoró, além do peso da máquina pública, ficou com parte da base do PSDB — e é bancado pelo deputado federal Célio Silveira (um dos principais responsáveis pela eleição de Lêda Borges em 2018) — e agregou o MDB. Portanto, é apontado como favorito. Célio Silveira banca: “Anote e me cobre depois — Pábio vai ser eleito e vai ganhar outro sobrenome, o de Pábio Valparaíso. Ele é simples, não briga com ninguém e não age como coronel. Tem identidade com a cidade e joga para a sociedade, não para grupinhos”.

O DEM, que não planeja apoiar Afrânio Pimentel, planeja lançar Paulo Roriz. O Democratas, aos menos os do Entorno de Brasília, não querem fortalecer o PP na região. Porque o ex-ministro Alexandre Baldy está colocando seu bloco político em algumas cidades, como Cidade Ocidental, Valparaíso e Santo Antônio do Descoberto.

O PT vai apostar suas fichas no Professor Silvano. Mas há quem diga que, depois da má gestão de Lucimar Nascimento, petista que foi prefeita da cidade, o partido de Lula da Silva ganhou sobrenome no município — seria “PT do Mortimento”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.