Jones Rodrigues deve ser o principal adversário do prefeito Gil Tavares em Nerópolis

O prefeito, do Republicanos, é apontado como favorito. Mas a união das oposições pode ameaçar seu reinado

Jones Rodrigues, pré-candidato a prefeito de Nerópolis pelo PSC | Foto: Divulgação

O prefeito de Nerópolis, Gil Tavares, do Republicanos, é, no momento, apontado como favorito para a disputa deste ano. Até seus adversários reconhecem sua força política, que decorre de seu carisma e também do peso da máquina. Um pré-candidato afirma que, até para certos exames médicos, o prefeito tem de autorizar, e pessoalmente. “Gil faz política o tempo todo”, diz.

O principal adversário de Gil Tavares tende a ser o empresário Jones Rodrigues, um jovem empresário.

Jones Rodrigues foi criado em orfanato e, como self-made man, criou uma construtora e se tornou um empresário bem-sucedido — constrói casas populares. Ele pertence à Associação Comercial, Industrial, Agropecuária e Serviços de Nerópolis (Acianer). “Jones se tornou empresário, mas sabe, na própria carne, as dificuldades de quem é pobre. Por isso, se eleito prefeito, saberá atrair investidores para gerar empregos e melhorar a renda do povo do município”, afirma um aliado.

Glaustin da Fokus, deputado federal, e Jones Rodrigues: aliados políticos | Foto: Divulgação

Há outros nomes no páreo: o ex-prefeito Fabiano Luiz (DEM), o médico Vilmar Júnior (Solidariedade), a Professora Rejane Moreira (PSB) e Edinho “do Posto” de Paula (PSDB).

Fabiano Luiz conta com o fato de que já foi prefeito, por isso tem experiência administrativa. Mas há quem aposte que será candidato a vereador — uma eleição mais segura. Sua rejeição seria “alta”, diz um aliado de Gil Tavares.

O psiquiatra Vilmar Júnior é filho de um ex-prefeito. A Professora Rejane é vereadora. Edinho do Posto, como diz o “nome”, é dono de um posto de combustível e é produtor rural. Tido como um político articulado, é o presidente do PSDB de Nerópolis.

Gil Tavares: o prefeito é, no momento, apontado como favorito | Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

A tese política dominante na cidade: se seis políticos forem candidatos a prefeito — Gil Tavares, Jones Rodrigues, Fabiano Luiz, Vilmar Júnior, Professora Rejane e Edinho do Posto —, na disputa deste ano, cinco deles, Jones, Fabiano, Vilmar, Rejane e Edinho, podem se reunir para, antecipadamente, comprar o terno da terceira posse de Gil Tavares. O único que realmente ganha com a divisão é o prefeito, que, segundo dois pré-candidatos, lidera as pesquisas de intenção de voto.

A possibilidade de arrancar Gil Tavares da prefeitura, onde parece “grudado”, é, segundo dois postulantes, uma só: unir toda a oposição. Será possível? Não será fácil, mas também não é impossível. Há a possibilidade de pelo menos três oposicionistas caminharem juntos. Hoje, o nome mais cotado para aglutinar a oposição é o do empresário Jones Rodrigues.

Há quem comente, porém, que a união das oposições talvez não signifique a união dos votos. Parte dos eleitores de Fabiano Luiz, por exemplo, pode não votar em Jones Rodrigues, e sim em Gil Tavares. De qualquer maneira, unidas, as oposições têm mais chances de derrotar o prefeito — que conta com uma estrutura apontada como “fabulosa”. “Vários grupos econômicos têm interesse em mantê-lo na prefeitura”, sustenta um tucano.

O médico Luiz Alberto (Cidadania), pessoa respeitada em Nerópolis, continuará como vice de Gil Tavares.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.