Fotos: Fernando Leite / Renan Accioly

Uma coisa curiosa sobre o irismo. Há dois tipos de irismo, ao menos no momento. Há o irismo que tenta bancar o senador Ronaldo Caiado para governador em Goiás em 2018. É o liderado por Iris Rezende, Iris Araújo, Ana Paula Rezende, Andrey Azeredo, presidente da Câmara Municipal de Goiânia; Nailton Oliveira e, sobretudo, Samuel Belchior. E há o irismo que trabalha para que o candidato do PMDB a governador seja Daniel Vilela. Entre seus próceres estão o secretário Agenor Mariano, o vereador Clécio Alves e o deputado Bruno Peixoto.

Os iristas que apoiam Daniel Vilela — e frise-se que não é o que fala Agenor Mariano, leal ao prefeito Iris Rezende, que é caiadista — chamam Ronaldo Caiado de “o novo Paulo Garcia”. A tese deles é que, se for eleito governador, o senador do DEM dará uma “banana” para o PMDB e, consequentemente, para Iris Rezende. Seu objetivo será a constituição de um novo grupo político.