“Iris Rezende vai perder o comando do PMDB em 2015”, garante Júnior Friboi

Júnior Friboi: “2015 vai ser um ano muito ruim na economia. Marconi Perillo acerta ao enxugar a máquina” | Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

Júnior Friboi: “2015 vai ser um ano muito ruim na economia. Marconi Perillo acerta ao enxugar a máquina” | Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

Ao abordar o empresário Júnior Friboi na sexta-feira, 19, o Jornal Opção percebeu que, inicialmente, estava mais interessado em discutir questões de economia do que de política. Aos poucos, mais descontraído, decidiu comentar alguma coisa sobre a política de Goiás. “O PMDB goiano vai passar por uma fase de grandes mudanças em 2015. Na eleição para o Diretório Regional, seja qual a data indicada, o partido terá de renovar-se, para garantir sua sobrevivência. Uma coisa é certa: Iris Rezende vai perder o comando do PMDB em 2015”, sublinha Friboi.

Embora pretenda trabalhar para derrotar Iris Rezende, Friboi posiciona-se da seguinte forma: “Meu interesse é renovar o PMDB para que possa ganhar eleição para governador de Goiás. Como pode um partido com a sua história não ganhar uma eleição para governador há 16 anos? Em 2014, não elegeu o governador, não teve candidato a senador e elegeu apenas dois deputados federais”. O empresário garante que não pleiteia o comando partidário para si. “Posso apoiar Daniel Vilela, Leandro Vilela, Sandro Mabel ou Pedro Chaves.” Aquele que se propuser a articular a renovação do partido, retirando-o das mãos do caciquismo, terá seu apoio.

Se Iris Rezende permanecer no comando, Friboi sai do PMDB? “Não acredito que Iris vai continuar dirigindo o partido e, por isso, não tenho a intenção a trocar de partido. Gosto do PMDB. É um partido grande e forte, com uma história positiva, com integrantes apaixonados e dispostos a lutar para melhorar o Estado e o País. Partidos pequenos têm dificuldade de formular alianças consistentes para uma disputa do governo do Estado. O PMDB e o PSDB são bem estruturados em Goiás e, daí, travam a ascensão de novos grupos. Não há espaço para a terceira via, por isso devo permanecer no PMDB.”

Mesmo optando por continuar no PMDB, Friboi tem sido assediado por alguns partidos, como o Pros e o PRB. “O PRB em Goiás, dirigido pelo bispo Fernando Mendes, quer a minha filiação e até sugeriu que, se eu quiser, poderei assumir o comando no Estado.”

Em 2016, nas eleições municipais, Friboi vai participar como integrante do PMDB. “Mas não vou disputar mandato, não. Vou focar mais nos meus negócios. Se disputar, o farei em 2018. Mas adianto que, depois de ficar quatro anos preocupado com política, não vou passar os próximos quatro anos obcecado com o assunto. Não sou profissional de política. Tenho muita coisa a perder. Me convidaram para organizar um projeto, e eu fiz a minha parte, mas o outro lado não cumpriu o que havia sido acordado. Pelo contrário, tentaram denegrir a minha imagem e a de minha família.”

Friboi diz que está numa fase de reflexão, observando a política e, sobretudo, a economia. “2015 vai ser um ano muito ruim e convém que todos se preparem. O governador Marconi Perillo está certíssimo ao enxugar a máquina logo no começo.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.