“Iris Rezende vai perder mais uma eleição e vai deixar o PMDB destruído”, afirma Júnior Friboi

Júnior Friboi: “Não vou votar nem em Iris Rezende nem em Marconi Perillo para governador” | Foto: Fernando Leite

O Jornal Opção entrevistou longamente o empresário Júnior Friboi na sexta-feira, 5. Aquilo que ele prefere chamar de “conversa” se deu por telefone.

Friboi diz que não vai se desfiliar do PMDB. “Ser filiado ao partido não me traz nenhum problema, mas não vou participar do processo eleitoral deste ano, exceto como cidadão.”
Qual é o seu projeto político? “Hoje, não tenho projeto político, ou melhor, projeto eleitoral. Mas não vou dizer que, adiante, não terei um projeto político. Quero continuar ajudando meu Estado e meu país, por exemplo na geração de empregos. Estou colaborando com os negócios da família na produção de frango e celulose.”

Leia Mais: Júnior Friboi deve travar batalha feroz contra Iris Rezende pelo controle do PMDB

Depois de frisar que não queria discutir política, e sim negócios empresariais, Friboi decidiu se abrir. Inicialmente, queria falar em “off”, mas depois admitiu falar em “on”. “O jogo político às vezes é muito sujo, desleal, lamentável. Combinei com homens de bem, mas não cumpriram publicamente aquilo que disseram a mim privadamente [referência a Iris Rezende, que o “atropelou” e impediu sua candidatura] Cumpri a minha parte. Em menos de um ano, reorganizei o PMDB no Estado. Saí do processo porque senti que estavam tentando me ‘enlamear’. Minha família começou a ser atacada única e exclusivamente porque comecei a trabalhar para ser candidato a governador de Goiás.”

Perguntado sobre seu candidato a governador, Friboi hesitou. O repórter insistiu. Ele decidiu falar: “Não vou votar para governador. Portanto, não vou votar nem em Iris Rezende, do PMDB, nem em Marconi Perillo, do PSDB. Devo votar para um candidato a deputado federal e para um candidato a deputado estadual. E não tenho nenhum nome para o Senado. É provável, até, que eu justifique meu voto, pois pretendo voltar aos Estados Unidos. A JBS comprou o negócio da Tyson Foods, da área de frango, no Brasil e no México”.

Friboi revela que, num certo momento, a “chapa dos sonhos” esteve praticamente montada. “Seria eu para governador, Antônio Gomide, do PT, na vice e Iris Rezende para senador. Mas Gomide e Iris preferiram seguir outros caminhos. É provável que, se definida esta chapa, Marconi nem disputasse a reeleição. Minha campanha estava estruturada, azeitada.” Havia até contratado o marqueteiro Duda Mendonça.

O que o sr. espera que vai acontecer? “O PT não elege o governador e perde um prefeito de qualidade em Anápolis, Antônio Gomide. O PMDB vai perder sua quinta eleição consecutiva para governador. Vai para o lixo. Iris vai ficar isolado, com o PMDB destruído, menor. Nin­guém vai ganhar nada. É uma palhaçada.”

Marconi ganha no primeiro turno? “É cedo para dizer isto. Há duas hipóteses sobre Mar­coni. Pode vencer no primeiro turno, dada a debilidade da candidatura de Iris, ou pode vencer o peemedebista no segundo turno. No segundo turno, contra um candidato como Vanderlan Cardoso, o líder tucano teria mais dificuldade.”

Vanderlan está, porém, bem atrás de Marconi e de Iris, segundo as pesquisas de intenção de voto dos institutos Fortiori, Ibope e Serpes. “É cedo para dizer que o quadro está definido. Há 30 dias de campanha. Em 10 dias, dependendo da campanha, pode-se mudar um quadro eleitoral. Fiquei 40 dias fora do Brasil, mas, ao voltar, percebo que as pessoas estão muito ‘silenciosas’, abstendo-se de dizer o que efetivamente pensam sobre o processo eleitoral. Há alguma coisa no ‘ar’, à espera de uma explicação mais detida. Não sei exatamente o que é, mas sinto que há uma zona de indefinição. Acredito que a abstenção pode chegar a 1 milhão de votos. 30% dos eleitores podem deixar de votar.”

Inquirido se irá financiar candidatos, Friboi foi curto e seco: “Não vou apoiar ninguém com dinheiro. Como disse, estou fora do processo”. Um balde de água fria para políticos de vários partidos. O que o empresário não quer é fortalecer adversários externos, de outros partidos, e internos, do PMDB.

6 Comment threads
1 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
5 Comment authors

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

sergio

esse ai nunca foi PEEMEDEMISTA, veio de paraquedas e agora quer dominar o PMDB de IRIS, de muitas luitas, ditadura, não tem votos, tem dinheiro, isso o IRIS tem de sobra, só ele querer investir. Se fosse ele pra governador o Marconi já tava eleito, nem precisava fazer campanha.

Benício David

Na verdade este é o desejo de alguém que acha que liderança se compra. Se quiser espaço dentro do PMDB venha conquista a confiança da militância honrada que não se vende.

João Batista

Não sou filiado a nenhum partido mas tenho dito e volto a repetir: no
dia a dia, nas conversas com as pessoas, aqui em Goiânia (funcionários
públicos, taxistas, cabeleireiro, vendedores, vizinhos, amigos, etc.),
de dez, nove declaram, abertamente, que vão votar no Marconi.

João Batista

O candidato à reeleição da coligação Garantia de um Futuro Melhor para Goiás, Marconi Perillo (PSDB), prometeu ampliar os investimentos em educação para que o Estado chegue a nota 5 no Índice de Desenvolvimento do Ensino Básico (Ideb). Goiás é o primeiro colocado no ranking nacional do índice, divulgado nesta sexta-feira pelo Ministério da Educação (MEC). Parabéns ao governador Marconi e toda a sua equipe!! Gente, vamos nos informar antes de votar. E vamos publicar os meus comentários, também sou leitor assíduo deste jornal ….

publico

é o primeiro lugar mas esta a baixo da média do ideb de qualquer forma é uma derrota a baixo da média, comemorar derrota é pra perdedores que gostam de perder

João Batista

O erro capital do PMDB (Partido Movimento Democrático Brasileiro) de Goiás, nessas eleições, foi não ter ouvido o partido, a sua base, através, de convenção para ver quem sairia candidato ao governo. As estatísticas nos últimos anos tem revelado que todo candidato que não passa pelo crivo da convenção partidária acaba fracassando. Ex.: José Serra (2010). É fato, o PMDB de Goiás está rachado. Então, é aguardar para ver … Se não publicarem os meus comentários vocês estarão perdendo, não só mais um leitor mas, muitos outros que fazem parte do meu círculo de parentes, amigos e clientes.

daniel marques

dia 5 de outubro tudo se esclarece, o próximo governador já foi escolhido por DEUS, porque toda autoridade é dada por DEUS… a verdade vem a tona…