Iris Rezende avalia nomear apenas 50 pessoas ao assumir

Prefeito eleito de Goiânia pretende começar administração com equipe enxuta, apenas secretários e diretores — até para poder acomodar indicados de vereadores

O prefeito eleito de Goiânia, Iris Rezende (PMDB), estaria avisando aliados que só nomeará 50 auxiliares ao assumir em janeiro de 2017.

Secretários e diretores serão os primeiros, pois, além de fundamentais para promover as primeiras mudanças, já os escolheu pessoalmente (levando em conta indicações de aliados, como o senador Ronaldo Caiado, do DEM).

Entre os possíveis titulares de pastas estão Agenor Mariano (PMDB), atual vice-prefeito; Samuel Belchior, ex-deputado estadual e afilhado de Iris; Joel Sant’Anna Braga (DEM), ex-secretário de Ciência e Tecnologia do governo Alcides Rodrigues; Paulo Daher (DEM), médico e vereador eleito; e Rodrigo Melo (Pros), atual presidente da Amma que deve permanecer no posto.

O segundo escalão ficaria para os próximos meses (talvez até para o segundo semestre).

Isso porque, experiente como é, Iris Rezende sabe que precisará negociar com os vereadores eleitos. Apesar de já estar recebendo possíveis apoiadores, só saberá a “moeda” quando começar pra valer a nova legislatura.

Além disso, como apontado pelo Jornal Opção na edição 2161 desta coluna, suspeita-se que pode haver um “rombo” nas contas municipais. Se isso se confirmar, Iris sabe que terá de apertar os cintos e isso significa reduzir a folha (não há muito espaço para cortes).

Alguns até entendem a decisão do prefeito eleito, mas não estão nada satisfeitos com o possível “atraso” na nomeação dos cargos de confiança.

 

 

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.