Indústria acelera mais em Goiás que no País

Henrique Meirelles, Marconi Perillo e Pedro Alves: comemorando a melhoria da atividade industrial no País e em Goiás no ano passado

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou recuperação na indústria brasileira pela terceira vez seguida. Segundo o órgão, a produção industrial subiu 0,2% em novembro de 2017, na comparação com o mês anterior, na série com ajuste sazonal. Trata-se do terceiro mês consecutivo de alta e o resultado veio depois de avanço de 0,3% em setembro e de outro aumento de 0,3% em outubro. Como não poderia deixar de ser, o ministro da Fazenda e pré-candidato à Presidência, Henrique Meirelles (PSD), comemorou. Em sua conta no Twitter, ele tascou: A “indústria segue em franca recuperação” no país.

Em Goiás, os números são ainda melhores. A indústria goiana cresceu 17% de novembro de 2016 a novembro de 2017, e apresentou o maior crescimento dentre 15 Estados avaliados. O dado consta na Pesquisa Industrial Mensal – Produção Física Regional, do IBGE.O governador Marconi Perillo também comemorou os índices divulgados, observando que o crescimento da indústria em Goiás é também resultado da política de benefícios fiscais do governo estadual, da diversidade, dinamismo e força da economia goiana. No mês de dezembro do ano passado, Marconi assinou protocolo de intenções com representantes de 22 empresas que vão se instalar em Goiás ao longo de 2018. Juntas, elas investirão R$ 800 milhões no Estado, e gerarão 9 mil novas vagas de emprego.

Presidente da Federação das Indústrias (Fieg), Pedro Alves de Oliveira diz que no ano passado, a indústria goiana recuperou um pouco das perdas que vinham desde 2015. “Mesmo sem ter ainda os números fechados, houve crescimento em 2017 entre 2% e 3% de produção física em Goiás. E, como em todo o Brasil, voltamos a gerar empregos. Espera-se que o PIB nacional cresça 1%, mas o nosso deve crescer 1,5%. Realmente, 2017 foi um ano de estabilização e um ensaio para a retomada em 2018. Há indicativos positivos. Mercado imobiliário melhorou, geração de empregos deverá ser bem melhor, a boa produção da indústria automobilística deve se consolidar. A expectativa é boa para o ano que se inicia.”

Emprego na indústria + construção civil, de janeiro a novembro

Goiás                                  Brasil

2017 = + 6.116                   (-) 182.586

2016 = (-) 15.579              (-) 770.793

Produção física da indústria (até outubro):

Goiás                                     Brasil

2017 = + 3,5%                    1,9%

2016 = (-) 6,7%                 (-) 6,6%

Exportações (até novembro):

Goiás 

2017 = +17,0% (6,44 bilhões U$)

2016 = + 0,9%  (5,93 bilhões U$)

Brasil

2017 = + 18,2%  (200,15 bilhões U$)

2016 = (-) 3,1% (185,2 bilhões U$)

Fonte: Fieg

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.