Hotel Nacional, de Brasília, vai a leilão por 129 milhões de reais

Dois compradores se habilitaram, mas estão esperando o preço cair para 92 milhões de reais. O cinco estrelas já hospedou a rainha Elisabeth 2ª e John Travolta

Inaugurado em 1961, nos primeiros tempos de Brasília, o Hotel Nacional, cinco estrelas que conta com 347 apartamentos, é uma construção icônica da capital tirada do nada pelo presidente Juscelino Kubitschek. É um símbolo da capital da República quase equivalente ao Palácio do Planalto, ao Palácio da Justiça e ao Congresso Nacional. Como parte da massa falida da Petroforte Petróleo Ltda., empresa que faliu em 2001, o hotel está à venda, via leilão, por 129,6 milhões de reais. O dinheiro é para pagar a dívida da Petroforte.

O hotel está sendo leiloado e o primeiro lance mínimo começou em 185,2 milhões de reais e, como não houve nenhum lance, o preço caiu para 129,6 milhões de reais. A segunda praça do leilão fica aberta até segunda-feira, 12. Há uma expectativa de que, se não aparecer compradores pelo valor de 129,6 milhões, o preço caia para 92,6 milhões de reais. Há dois compradores que se habilitaram para a aquisição. O valor do hotel inclui seus bens móveis, como pinturas do pintor e escultor italiano Domenico Serio Calabrone (1929-2000).

O leilão foi determinado pela 3ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais do Foro Central de São Paulo. A direção do hotel tentou impedir o leilão, mas a juíza Adriana Bertier Benedito negou a liminar, em outubro deste ano.

Celebridades da política, da música e do cinema

Rainha Elisabeth 2ª com o presidente Costa e Silva, em 1968, em Brasília

O Hotel Nacional já hospedou celebridades internacionais, como a rainha da Inglaterra, Elisabeth 2ª, em 1968, os presidentes Jimmy Carter e Ronald Reagan, dos Estados Unidos, o presidente da França, Charles de Gaulle, os atores Kirk Douglas, Catherine Deneuve e John Travolta, o diretor de cinema Roman Polanski, e nacionais, como a apresentadora de televisão Xuxa, o apresentador e empresário Silvio Santos e o cantor Roberto Carlos. Hoje, a diária do hotel — a partir de 150 reais (há suítes mais caras) — é uma das mais baixas de Brasília. Trata-se, afinal, de um “cinco estrelas”.

Relato do “Correio Braziliense”: “O ano, ninguém sabe ao certo, mas o que se conta é que lá pelo fim da década de 1960, a atriz Leila Diniz causou um rebu ali ao protagonizar um strip-tease na piscina depois de algumas boas doses. Era por volta de 21h30 quando teve início o espetáculo. ‘Dizem que todo mundo saiu na janela para ver o que estava acontecendo e foi uma confusão danada aqui’, conta a responsável pela governança, Vera Lúcia de Melo, ou só dona Vera, funcionária do Nacional há 29 anos”.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.