O Daia parecia inexpugnável. Acreditava-se que a crise chegaria à sua porta, mas não entraria. Até os laboratórios gigantes começam a demitir e, se as encomendas continuarem diminuindo, vão demitir mais — sem esperança de recontratação. A gigante Hyundai, que monta automóveis coreanos, estava parada, em férias coletivas, mas voltou a funcionar. Ninguém está bem no Brasil e, como Anápolis não é uma ilha, o desemprego começa a crescer no município.

O Daia é um dos maiores distritos industriais do país e se tornou uma referência para empresários de vários Estados. O ex-secretário da Indústria e Comércio Ridoval Chiareloto afirma que “é preciso olhar o Daia com carinho. Porque se trata de um propulsor de desenvolvimento para praticamente todos os municípios goianos”.