Humberto Tannus acabou deslocado para a ABC, com o objetivo de reorganizá-la

Tido como gestor de primeira linha, Edivaldo Barbosa esteve praticamente nomeado para a Agência Brasil Central. Por ser executivo com experiência na iniciativa privada, inclusive nos Estados Unidos, sua missão seria enxugar a agência e passar televisão, rádios e gráfica para o mercado.

No entanto, como o padre Robson pediu ao governador Marconi Perillo que indicasse o vereador Tayrone di Martino para a Secretaria de Governo, o tucano-chefe optou por transferir Henrique Tibúrcio para a presidência da Goiás Fomento e, deste modo, manteve Edivaldo Cardoso no comando da Ceasa. Humberto Tannus, que estava na Goiás Fomento, acabou deslocado para a ABC.