Frente ampla, com PSDB, PSD, PSL e PV, vai enfrentar o prefeito Renato de Castro em Goianésia

O principal adversário do emedebista tende a ser o delegado da Polícia Civil Marco Antônio. Emerson da Autovip é o postulante da terceira via

A tendência é que dois candidatos a prefeito polarizem em Goianésia, próspero município do Vale do São Patrício. De um lado, o candidato do MDB, Renato de Castro, bancado pelo governador Ronaldo Caiado, do DEM. De outro, o delegado da Polícia Civil Marco Antônio Maia, apoiado pelos irmãos Otavinho Lage e Jalles Fontoura, ambos empresários e ex-prefeitos.

 

Marco Antônio: pré-candidato a prefeito de Goianésia | foto: Reprodução

Renato de Castro é apontado como um rival difícil de ser batido. Por isso, está se formando uma frente ampla, com PSDB, PSD, PSL e PV, para tentar derrotá-lo.

O principal problema de Marco Antônio, afirma um político, é que aparece aos olhos da sociedade como “tutelado” pela família de Otavinho Lage e Jalles Fontoura. “Precisa criar identidade própria. Renato era visto como ‘o filho do Fião’, mas cristalizou uma identidade, ainda que seja dependente do pai.”

Carlos Veículos afirma que será candidato a prefeito pelo PSD. Recentemente, o Jornal Opção ouviu o presidente estadual do PSD, ex-deputado federal Vilmar Rocha, que confirmou a candidatura do empresário. Mas fez uma ressalva: se Otavinho Lage (ou Jalles Fontoura) for candidato, dada a aliança histórica com a família — são aliados e amigos —, aí o PSD fecha com ele. Quanto a Marco Antônio, o pré-candidato tucano, Vilmar Rocha sugeriu que não tem compromisso. Pelo menos não tem até o momento.

Renato de Castro e seu pai, Fião de Castro Arantes | Foto: Reprodução

O Jornal Opção ouviu uma série de políticos da cidade, para firmar um quadro geral da política local, e a maioria disse que, no final do processo, Carlos Veículos deve ser candidato a vereador. No entanto, numa conversa com um repórter do Jornal Opção, há pouco tempo, ele disse que será candidato a prefeito e que uma disputa ao Legislativo não estava no seu radar. Em 2016, ele foi eleito vice-prefeito na chapa de Renato de Castro, mas romperam politicamente, e fez uma série de acusações contra o emedebista.

Uma fonte afirma que Emerson da Autovip aparece como uma terceira via. “A ressalva é que, em Goianésia, a terceira via nunca teve viabilidade eleitoral. Mas ele colocou seu nome e está articulando. É um candidato alternativo. Resta saber como vai ser ficar entre fogo cruzado do prefeito e do grupo que apoia Marco Antônio.”

Emerson da Autovip: postulante da terceira via | Foto: Facebook

Outra fonte sugere que Carlos Itapuã, do PT, também planeja disputar. “Ele seria a quarta via. Mas teria dificuldade de se eleger para vereador”, aposta.

Ao final das conversas, um emedebista fez uma pergunta e não quis respondê-la: “E, se no momento crucial, a cúpula estadual puxar o tapete de Renato de Castro?” Como ele não quis responder, o Jornal Opção recorreu a outras pessoas para tentar explicar o que, de maneira enigmática, disse o jovem político.

Carlos Veículos: pré-candidato do PSD | Foto: Reprodução

Uma não soube responder, mas a outra arriscou: “Há resistência ao Renato porque ele não apoiou Daniel Vilela em 2018, para governador, mas o fato é que o MDB local, ao menos o grupo que dirige o partido, está fechado com Renato, porque é o único da legenda que tem viabilidade eleitoral. Portanto, acredito que será o candidato do partido. Sei que, entre aliados de Jalles Fontoura, há quem acredite que Daniel Vilela vai impedir a candidatura de Renato, como vindita, mas os emedebistas locais estão afinados com o prefeito. Posso estar errado? Sim, mas é o que estou vendo, no momento.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.