Na semana passada, nesta coluna, o assunto foi sobre a falta de vereadores em Goiânia que tenham uma causa verdadeiramente válida para levar adiante como sua própria bandeira.

Os últimos dias na capital foram caracterizados por vários dias de temporais que causaram, felizmente, apenas perdas materiais. Mas no dia 30 de janeiro, as águas levaram a vida de Warley Melo Adorno, um jovem de 22 anos, que foi arrastado pela enxurrada e jogado, com sua moto, no leito do Córrego Cascavel, no Jardim América.

Se algum legislador goianiense se interessa em unir o útil (uma causa de fato ampla e atinente à realidade de uma cidade como Goiânia) ao agradável (visibilidade para alavancar seu potencial de votos), poderia se dedicar mais aos estudos dos fenômenos climáticos, especialmente sobre as chuvas.

A entrevista da edição desta semana do Jornal Opção, com a professora Gislaine Cristina Luiz, do Instituto de Estudos Socioambientais (Iesa) da Universidade Federal de Goiás (UFG), fornece um bom material de base para entender a gravidade da situação na cidade.

Ao lado disso, existem assuntos colaterais que se aplicam ao mesmo tema. Um deles é o desmatamento da área de nascente do Córrego Buritis, na altura da Avenida 136, no Setor Sul. Não há mais o que fazer em relação à quase centena de árvores derrubadas, mas é uma ocasião essencial para se juntar aos movimentos sociais e ambientalistas por uma causa extremamente justa.

Fica a dica ao pessoal da Câmara de Goiânia.