Eduardo Azevedo, tucano do mensalão mineiro, é condenado a 20 anos de prisão

Tribunal de Justiça decide que o ex-governador de Minas Gerais pode recorrer em liberdade

Petistas sugerem que foram penalizados devido ao mensalão, mas que o tucanato recebe proteção quando se trata de julgar o mensalão mineiro. Não é bem assim. O Tribunal de Justiça de Minas Gerais confirmou a condenação do ex-governador Eduardo Azeredo, do PSDB, tido como um dos artífices do mensalão do Estado do senador Aécio Neves.

Acusado dos crimes de lavagem de dinheiro e peculato, Eduardo Azeredo foi condenado a 20 anos e um mês de prisão. Na primeira instância, a condenação da primeira instância havia sido de 20 anos 10 meses. O tucano vai recorrer em liberdade.

O Ministério Público Estadual apurou que Eduardo Azevedo contribuiu para o desvio de dinheiro de estatais com o objetivo de financiar sua campanha de reeleição (era governador de Minas).

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.