Dioji Ikeda é cotado para vice de Antônio Gomide. Mas quem manda no PDT é a deputada federal Flávia Morais

Quem manda num partido político é quem tem mandato legislativo federal (o que significa voto no Congresso Nacional) ou executivo. Portanto, quem manda no PDT de Goiás é a deputada federal Flávia Morais, politicamente mais próxima de Vanderlan Cardoso, pré-candidato a governador de Goiás pelo PSB, e, em segundo lugar, de Júnior Friboi, pré-candidato a governador pelo PMDB. Ligada à cúpula nacional do PDT, ela vai escolher o candidato a governador do PDT. É incontornável. (Dizem que seu marido, George Morais, prefere uma composição com o governador Marconi Perillo e que não estaria “satisfeito” com Friboi.)

Porém, se depender do prefeito de Inhumas, Dioji Ikeda, o PDT vai caminhar ao lado do pré-candidato a governador do PT, Antônio Gomide. Mais: Dioji Ikeda, se bancado pelo partido, aceita ser vice do petista. A operação é complicada, é claro, dado o tempo exíguo para decisão. Ikeda tem mandato, mas não tem voto no Congresso Nacional. Quer dizer, tem força, mas não a mesma de Flávia Morais.

Ademais, dadas as incertezas da política, aliados de Ikeda recomendam que não renuncie.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.