Daniel Vilela recebe Márcio Luis, pré-candidato a prefeito de Porangatu

O MDB tem um nome para a disputa: Sargento Claude. Mas, se conquistar o passe de Marcio Luis, entra no jogo de fato

O quadro político de Porangatu está em ebulição — dado o surgimento de um político novo, que ainda não disputou mandato, mas é apontado como extremamente articulado na sociedade local. Trata-se de Márcio Luis da Silva. Sem filiação partidária, é ligado ao vice-governador Lincoln Tejota.

Daniel Vilela e Márcio Luis da Silva com comitiva de Porangatu | Foto: Divulgação

O prefeito Pedro Fernandes, do PSDB (a caminho do PP ou do MDB), e o ex-prefeito Eronildo Valadares (vai se filiar ao DEM) têm um sonho: ter Márcio Luis como vice. Mas o jovem advogado e empresário permanece determinado a disputar a prefeitura, rompendo a polarização entre os grupos de Júlio da Retífica (PSDB) e de Valadares.

O problema é que Marcio Luis está ficando sem partido. O PSD de Vilmar Rocha quer o seu passe. Por sinal, o partido não apoia o governo — tanto que se recusou a receber a refiliação de Lincoln Tejota recentemente. O MDB de Daniel Vilela rompeu com Eronildo Valadares e Vanuza Valadares e informa que deve lançar Sargento Claude para prefeito. Por mais que seja um nome respeitável, o militar não tem força eleitoral nem estrutura para competir com pesos-pesados como Pedro Fernandes e Eronildo Valadares.

Daniel Vilela, certamente com a anuência de Sargento Claude, está buscando novos caminhos. Na segunda-feira, 11, o presidente do MDB recebeu uma comitiva de Porangatu — encabeçada por Márcio Luis. Filiação à vista? Talvez, mas ainda não há nada definido.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.