Daniel Vilela e Ronaldo Caiado esquecem das derrotas acachapantes de Iram, Demóstenes e Iris

Políticos devem fazer oposição a políticos, mas não ao Estado, porque prejudicam seu desenvolvimento

O deputado federal Daniel Vilela, do PMDB, e o senador Ronaldo Caiado, do DEM — que maledicentes nominam de “Lippy e Hardy do Cerrado”— disputam a primazia de “atacante principal” do governo de Goiás. Eles desconhecem a história do próprio Estado. Iram Saraiva, em 1990, Demóstenes Torres, em 2006, e Iris Rezende, em 2014, denunciaram o governo com extrema virulência e, em troca, receberam dos eleitores derrotas acachapantes.
A crítica é bem-vinda, mas precisa ser consistente e não pode ser contra Goiás. Políticos devem fazer oposição a políticos, mas não ao Estado. Atra­palhar o desenvolvimento da região com finalidade política é contraproducente e não tem o apoio da população.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.