Cida Garcês “confunde” nome de vereadora: “Cristiane… Cristina Arantes… Como que é mesmo?”

Projeto que tem gerado embate entre as parlamentares Cida e Cristina Lopes é referente a sacolas de plásticos

cristina e cida

Vereadoras Cristina Lopes e Cida Garcês | Fotos: Alberto Maia

O plenário da Câmara Municipal de Goiânia foi palco mais uma vez, nesta quinta-feira (5/11), de uma discussão entre as vereadoras Cida Garcês (Solidariedade) e Dra. Cristina Lopes (PSDB) em torno de um mesmo projeto. Em discurso, a integrante do Solidariedade se confundiu ao se referir à vereadora tucana. “A Cristiane… Cristina Arantes… Como que é mesmo?”, perguntou, ao que alguém respondeu “Cristina Lopes”. “Isso, Cristina Lopes”, disse.

Antes disso, quando foi falar da colega vereadora, Cida Garcês ia chamá-la de Dra. Cristina Lopes, mas se autocorrigiu. “Doutora não, Cristina Lopes”. A vereadora tucana é fisioterapeuta e também é graduada em Educação Física.

O projeto que tem gerado embate entre ambas é referente a sacolas de plástico. Cida acusou a Dra. Cristina de ter copiado seu projeto que regulamenta a distribuição de sacolas plásticas recicláveis em Goiânia. “É uma vergonha! Ela copiou meu projeto! É uma pouca vergonha isso. Eu exijo respeito, é insuportável, nojento, o projeto é igualzinho”, disse Cida na última quarta-feira (4/11).

A acusação foi feita depois que Dra. Cristina apresentou uma emenda-substitutiva ao projeto original prevendo que as sacolas comuns poderiam continuar sendo usadas, e que os estabelecimentos deveriam ter os dois tipos de sacola, deixando que o consumidor escolha — algo que a vereadora do Solidariedade não concorda.

Na manhã desta quinta-feira (5), a tucana discursou dizendo que tem trabalhos na área de sustentabilidade, como cooperativas de lixo. A vereadora explicou que concorda plenamente com o projeto de Cida, e que o que está havendo é uma “confusão e contradição em relação à matéria”. “Temos que ser justos: esse projeto original na verdade é do Felisberto Tavares, e não da Cida”, garantiu, gerando ainda mais revolta de Cida.

Cristina citou o número do projeto, 420/2015, dizendo que no próprio requerimento Felisberto (PR) relata que o projeto da Cida é praticamente um ipsis litteris do projeto do dele. “O parecer do projeto do Felisberto foi para o arquivamento, o da Cida, que era igual, prosperou.” De acordo com a vereadora, o substitutivo de seu projeto tem que repetir o que está no projeto original, mas a proposta muda completamente.

“O projeto dela [Cida] obriga a distribuição e a substituição das sacolas brancas. Não defendo empresário, defendo a população e o meio ambiente”, disse. Conforme Cristina, em São Paulo existe um projeto parecido com o da Cida, mas que já teve recuo por parte dos vereador, uma vez que a sacola reciclável acaba sendo mais onerosa e não tem comprovação de que é menos poluente. “O que eu quero é garantir que seja distribuído e que possa começar uma atuação no sentido de conscientizar, mas sem aumentar os custos para o contribuinte”, defendeu-se.

Cida, por sua vez, rebateu dizendo que o projeto dela prevê um ano de adaptação, e o da Dra. Cristina não. “É para sempre a possibilidade das duas: a branquinha e as verdes e cinza”, disse.

O projeto determina que sacolas plásticas reutilizáveis deverão ser oferecidas pelos estabelecimentos comerciais em duas cores: verde e cinza. O objetivo é ampliar a coleta seletiva de resíduos sólidos na capital.

Atualmente, as sacolas são tradicionalmente brancas — derivadas de petróleo -, o projeto prevê que elas sejam feitas de material biodegradável, que tem em sua composição 51% de material vegetal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.