Câmara vai tentar bancar substituto para Michel Temer. Mas nome de fora pode ser bancado por sociedade

A escolha de um nome interno é a mais sugerida. Mas a sociedade pode pressionar por um nome externo

Rodrigo Maia, do DEM, é cotado para a Presidência da República | Foto: Luiz Macedo/ Agência Câmara

O Jornal Opção conversou com deputados federais a respeito dos possíveis candidatos a presidente da República na eleição indireta — caso Michel Temer renuncie ou seja cassado pela Justiça (há possibilidade de a chapa Dilma Rousseff-Michel Temer ser cassada).

Jovair Arantes, do PTB, afirma que é cedo para avaliar, sobretudo porque Michel Temer continua na Presidência e sustenta que não vai renunciar. “No caso de afastamento, o mais provável é que alguém da Câmara dos Deputados, que representa 513 votos, mais do que os 81 do Senado, seja eleito para substitui-lo.” O petebista sugere que é muito difícil viabilizar o senador Tasso Jereissati (PSDB) e o ex-ministro Nelson Jobim. “A Câmara dificilmente bancará um senador.”

Giuseppe Vecci, do PSDB, diz que os nomes mais cotados são Rodrigo Maia (DEM), presidente da Câmara dos Deputados, Nelson Jobim e Jereissati. “Pode-se até não apreciar os nomes, mas são os mais citados.” Thiago Peixoto, do PSB, sugere que o Congresso deve optar por um nome interno. “A ressalva é que a sociedade vai ser dura e pode cobrar um nome externo, dado o desgaste do Legislativo. Rodrigo Maia é o nome interno favorito. Pessoalmente, prefiro um nome de fora. Fernando Henrique Cardoso e Tasso Jereissati geram uma polarização política que não é positiva.”

Thiago Peixoto frisa que o escolhido deve ser um líder capaz de “pacificar” o país, um político conciliador, e “avançar na agenda das reformas. Sei que é difícil escolher um nome de fora do Congresso, mas pode ser o melhor caminho”.

Uma dos problemas de Nelson Jobim é que, além de sócio do BTG Pactual (investigado pela Justiça), deu consultoria para empresas citadas na Operação Lava Jato. O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, do PSD, embora seja apontado como honesto e competente, foi presidente da holding J&F, que dirige a JBS-Friboi, da família do delator premiado Joesley Batista.

Alexandre Baldy (PTN) diz que as principais alternativas são Tasso Jereissati e Rodrigo Maia. “Mais ninguém”, frisa.

Fábio Sousa (PSDB) sublinha que o presidente escolhido por eleição indireta deve ser “um político que reúna respaldo popular e parlamentar. Deve ser alguém que, além de vivência, tenha passado ilibado. Ao mesmo tempo, deve ser alguém que não queira disputar a Presidência em 2018. Ou seja, trata-se de um político que entenda que sua missão história é apaziguar a nação. Não sei se a população vai acatar alguém da Câmara ou do Senado”.

Uma resposta para “Câmara vai tentar bancar substituto para Michel Temer. Mas nome de fora pode ser bancado por sociedade”

  1. Avatar paulo cesar de sousa disse:

    rodrigo maia seria a mesma coisa!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.