Bolsonaro escolhe Joaquim Levy para a presidência do BNDES

A colunista Sonia Racy, do jornal “Estadão”, afirma que o economista já está limpando suas gavetas no Banco Mundial

Joaquim Levy, economista: do Banco Mundial para o BNDES | Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

A editora da coluna “Direto da Fonte”, Sonia Racy, crava no domingo, 11, a nota “Joaquim Levy é o novo presidente do BNDES”.

A jornalista do “Estadão” frisa: “Nos corredores do Banco Mundial em Washington já se sabe: Joaquim Levy é o novo presidente do BNDES. Está esvaziando suas gavetas”.

Joaquim Levy foi ministro da Fazenda do governo de Dilma Rousseff, tentou ajustar o caos, mas foi solenemente boicotado tanto pelo ex-presidente quanto por seus auxiliares mais poderosos.

Visto como um craque pelo mercado, Joaquim Levy é tido como capaz de pôr o BNDES num novo patamar, tanto em termos eficiência quanto de probidade.

O futuro ministro da Fazenda, Paulo Guedes, é o patrono de Joaquim Levy para o banco. O presidente eleito Jair Bolsonaro teria concordado com o nome, que é altamente recomendado no mercado financeiro e dotado de experiência nacional e internacional.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.