7 municípios de Goiás com as campanhas mais acirradas para prefeito

pag1

Heuler Cruvinel e Paulo do Vale, de Rio Verde; Vinicius Luz e Victor Priori, de Jataí; Valmir Pedro e Azarias Machadinho, de Uruaçu; Marcelo Melo e Cristóvão Tormin, de Luziânia; Neuza Lúcia e Nick Barbosa, de Minaçu; Pedro Fernandes e Eronildo Valadares, de Porangatu; e Adib Elias e Jardel Sebba, de Catalão

Sete municípios goianos — Rio Verde, Jataí, Porangatu, Uruaçu, Minaçu, Catalão e Luziânia — tiveram as campanhas mais acirradas de 2016

Em Rio Verde, Heuler Cruvinel, do PSD, e Paulo do Vale, do PMDB, fizeram rodízio em primeiro lugar. A campanha do município foi dura, crítica e de forte conteúdo político. O postulante pessedista é apontado como a renovação e o candidato peemedebista, como a tradição. Ao lado da campanha de Jataí, a de Rio Verde talvez tenha sido a mais emocionante.

Em Jataí, o milionário Victor Priori (DEM) avaliou que estava eleito por antecipação e, de repente, assistiu, de sua “caixa forte”, o crescimento vertiginoso do jovem Vinicius Luz (PSDB). O fato do democrata ter “mentido” sobre a reabertura da Perdigão em Jataí — a empresa negou sua informação — foi a gota d’água, porém, antes disso, o tucano já estava em ascensão. Os dois chegaram à reta final com números parecidos, mas com Vinicius Luz em primeiro.

Em Uruaçu, o favorito absoluto era Valmir Pedro, do PSDB. Mas aí apareceu Azarias Machadinho e bagunçou o coreto. Torrando muito dinheiro, o que inclusive desagradou a Igreja Católica, e faltando aos debates — porque, com o português estropiado, tem dificuldade de se expressar —, Machadinho cresceu e ameaça a liderança de Valmir Pedro. A disputa na cidade virou guerra.

Em Luziânia, o candidato do PSDB, Marcelo Melo, descolou, mas depois assistiu a ascensão do prefeito Cristóvão Tormin (PSD), mais devido ao peso da máquina do que pela qualidade da campanha si. O tucano manteve a dianteira, devido aos equívocos de Tormin, que, a rigor, não pode ser candidato.

Minaçu assistiu uma campanha acirrada, com o milionário caipira Nick Barbosa, do DEM, liderando e Neuza Lúcia de Souza Rodrigues, do PMDB, em segundo lugar, com números parelhos. Nick gasta dinheiro como se estivesse brincando de caçar Pokémon, mas Neuza passou a eleição colada.

Em Porangatu, Pedro Fer­nandes, do PSDB, surgiu como quem não queria nada, mas foi colocando seu bloco na rua, apresentando suas ideias aos eleitores, e, de repente, era o líder nas pesquisas, um pouco à frente do prefeito Eronildo Valadares, do PMDB. Mesmo com rejeição alta, o peemedebista mantém-se próximo. A campanha da cidade do Norte é pesada.
Catalão teve a eleição mais guerreira, com Adib Elias (PMDB), o favorito, e o prefeito Jardel Sebba (PSDB), no ataque o tempo todo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.