As 19 principais apostas políticas de Marconi Perillo para os próximos anos

ayme Rincon: presidente da Agetop| Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

Jayme Rincon: presidente da Agetop| Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

O governador Marconi Perillo está mais preocupado com seus próximos quatro anos no poder. Porém, como segue a máxima de Tancredo Neves, de que, “em política, só existe tarde, nunca cedo”, começa a investir em gestores e políticos novos (alguns nem tão novos, mas novos na política). A seguir uma lista mínima:
Alexandre Baldy — O deputado federal eleito parece um playboy. Mas não é. Trata-se de um executivo atilado e moderno.
Giuseppe Vecci — Se depender de Marconi, será o candidato a governador em 2018.
Jayme Rincon — O presidente da Agetop tomou gosto pela política e deve ser candidato a prefeito de Goiânia. Auxiliar full time e hors concours, é o cara.
Thiago Peixoto — O deputado federal fez um trabalho excelente na Secretaria da Educação, mas teve uma votação pífia. Ainda assim, é uma das apostas, por ser articulado e preparado.
Waldir Soares — O delegado se impôs pela força do voto. Não era da corte marconista, porém não dá mais para ignorá-lo. (Leia mais na internet)
Cristina Lopes — Teve uma votação pífia para deputada estadual. Mas tem atuação consistente na Câmara Municipal de Goiânia e é respeitada pela corte tucana.
Fábio Sousa — Eleito deputado federal, numa campanha solo, não dá mais para ignorá-lo nem chamá-lo de fundamentalista. Não há nada de errado com um político só porque é evangélico. É agressivo e firme.
Henrique Tibúrcio — É uma espécie de golden boy da corte marconista. Respeitado pela competência e integridade.
Jean Carlo — Eleito deputado estadual, é muito ligado ao empresário José Garrote e está se aproximando de Marconi. Tem futuro se conseguir se qualificar.
José Eliton — O vice-governador é apontado por Marconi como leal, preparado e um aliado sempre presente.
José Paulo Loureiro — É um caso ímpar. Marconi já quis transformá-lo em político, mas, executivo extremamente capacitado, sempre fugiu de disputas eleitorais.
Lincoln Tejota — Há quem acredite que ganha eleições unicamente devido ao apoio do pai, Sebastião Tejota. É um equívoco. Ele trabalha em tempo integral e dialoga com firmeza com suas bases.
Thiago Albernaz — É muito jovem, mas posiciona-se bem na Câmara Municipal. Falta-lhe um pouco mais de preparo intelectual. Mas tem tutano.
Virmondes Cruvinel — Se for um pouco mais agressivo, vai crescer na política. Marconi o respeita.
Eduardo Machado — O presidente nacional do PHS se revelou um articulador do primeiro time. Marconi gosta muito disso.
Eurípedes Júnior — Ele tem brilho próprio na política nacional, pois preside o Pros. Marconi aprecia sua capacidade de articulação.
Gustavo Sebba — Eleito deputado estadual, o médico é consistente e não quer ficar na sombra do pai, Jardel Sebba.
Rodrigo Zani — O líder da juventude do PSDB não tem mandato, mas é uma das apostas do tucanato.
Marcos Abrão — Ele era apresentado por Marconi como uma revelação administrativa. Eleito deputado federal, se tornou uma revelação política.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.