Dilma Rousseff inaugura trecho da Ferrovia Norte-Sul entre Anápolis e Palmas

Dilma entrega trecho da Norte-Sul:  solenidade antecedida por protestos

Dilma entrega trecho da Norte-Sul: solenidade antecedida por protestos

Dilma Rousseff (PT) esteve na quinta-feira, 22, no evento de inauguração do trecho da Ferrovia Norte-Sul entre A­nápolis e Palmas, capital do Tocantins. A solenidade foi antecedida por protesto de cerca de 400 membros da Federação dos Trabalhadores nas Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico do Estado de Goiás (FemGoiás) que cobram celeridade na conclusão das obras da BR-060/153. O trânsito nas proximidades do Distrito Agroindustrial de Anápolis de Anápolis (Daia) ficou travado das 5 às 8h30.

A petista, o ministro dos Transportes, César Borges, e o pré-candidato ao governo pelo PT, Antônio Gomide, chegaram ao local em uma das locomotivas. Eles chegaram pelo túnel 2, abaixo da BR-060. Esta é a segunda vez que Dilma vem a Goiás para tratar sobre a ferrovia Norte-Sul. Em 15 de março de 2012 a petista vistoriou obras deste mesmo trecho já inaugurado anteriormente.

A Ferrovia Norte-Sul, no trecho inaugurado na quinta-feira, que possui 855 quilômetros, perpassa por 24 municípios goianos. A parte relativa ao PAC estava orçada em R$ 4,28 bilhões, mas foi aumentada em quase R$ 500 milhões ao longo dos anos. A ferrovia ainda não possui operador e só funcionará efetivamente em 2015. Da capital do Tocantins a Açailândia, a Norte-Sul é operada pela empresa Valec Engenharia.

Dentre os impasses e polêmicas, as suspeitas de superfaturamento levantadas pelo TCU.

 

Estudantes são presos suspeitos de queimar ônibus

A Polícia Civil (PC) deflagrou na sexta-feira, 23, a operação R$ 2,80, comandada pelo delegado Alexandre Lourenço, da Delegacia Estadual de Repressão a Ações Criminosas Or­ganizadas (Draco). A ação visou prender líderes do Movimento Estudantil Popular Revolucionário, suspeitos de pregar a desordem e incitar a população a destruir ônibus do transporte público de Goiânia e região metropolitana.

A operação contou com a participação de 25 policiais. Ao todo foi efetuada a prisão de três estudantes entre 18 e 20 anos e a execução de cinco mandados de busca e apreensão. O delegado Tiago Torres disse que foi apreendido material como bandeiras, cartazes, gases e produtos para a fabricação de coquetel molotov, arma química incendiária, geralmente utilizada em protestos.

 

Militares da Tailândia anunciam golpe de Estado

O comandante do exército da Tailândia, Prayuth Chan-Ocha, anunciou em pronunciamento na TV na quinta-feira, 22, que está tomando o controle do governo para restaurar a ordem e promover reforma políticas no país. O golpe militar aconteceu dois dias após a declaração da Lei Marcial. Depois do anúncio, o chefe do exército pediu que a população permanecesse calma e que continuasse com seus afazeres diários.

O país sofria com uma crise política há mais de oito meses, com diversos protestos antigovernamentais. O comandante afirmou que a tomada de poder não afetaria as relações internacionais. O exército anunciou, em seguida, que estava enviando tropas para retirar os manifestantes das ruas.

 

Traficantes queriam construir submarinos 

Pelo menos duas pessoas foram presas em Goiás na sexta-feira, 23, durante a deflagração da Operação Águas Profundas, por parte da Polícia Federal e da Receita Federal. Foram expedidos mandados para Goiás e mais seis Estados do país com vistas a desarticular uma quadrilha especializada em tráfico internacional de drogas.

Segundo as investigações, o grupo faturava mais de R$ 5 milhões semanais com as ações ilegais. Para facilitar o transporte de mercadorias, a quadrilha havia concluído o planejamento para a construção de um submarino e pretendia criar uma empresa aérea para voos internacionais. Os traficantes mantinham atividades em cerca de 30 países, entre eles EUA, China, Es­panha, França e África do Sul.

 

Pastor hostiliza Xuxa e é retirado da CCJ

O deputado Pastor Eurico (PSB-PE) foi destituído da Co­missão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados após hostilizar a apresentadora Xuxa Meneghel em audiência que tratava da chamada “Lei da Pal­mada”. Xuxa estava participando da sessão como apoiadora do projeto, que proíbe a punição física em crianças.

Ao falar do “filme pornô” do qual Xuxa teria feito parte, o Pastor Eurico se referia a “Amor, Estranho Amor”, produção de 1982 que contava com a participação de Vera Fischer e Tarcísio Meira. Na história, Tamara, interpretada por Xuxa, seduz e molesta um garoto de 12 anos de idade.

Após ser hostilizada na sessão de quarta-feira, a apresentadora Xuxa não pôde se defender. Como não é parlamentar, não tinha direito à palavra.

 

Joaquim Barbosa revoga trabalho externo de mais quatro condenados no mensalão

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, revogou na quinta-feira, 22, o benefício de trabalho externo de mais quatro condenados na Ação Penal 470, o processo do mensalão. O presidente cassou o benefício dos ex-deputados Valdemar Costa Neto, Bispo Rodrigues e Pedro Corrêa e do ex-tesoureiro do extinto PL Jacinto Lamas. Barbosa entendeu que eles não podem receber trabalhar fora do presídio por não terem cumprido um sexto da pena.

Com o mesmo argumento, Barbosa revogou os benefícios do ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares, do ex-deputado Romeu Queiroz, do ex-advogado de Marcos Valério, Rogério To­lentino, e do ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, que não chegou a receber autorização para trabalhar.

De acordo com a Lei de E­xecução Penal, a concessão do trabalho externo deve seguir requisitos objetivos e subjetivos.

 

semana.qxd

 

Deixe um comentário