Antônio Perillo, irmão do governador, é denunciado na Operação Poltergeist

Documentos são apreendidos na Opera­ção Poltergeist| Foto: Demian Duarte

Documentos são apreendidos na Opera­ção Poltergeist| Foto: Demian Duarte

O irmão do governador Marconi Perillo (PSDB), An­tô­nio Pires Perillo, é um dos 36 de­nunciados pelo Minis­té­rio Público de Goiás (MP-GO) por possível envolvimento em es­quema de contratação de servidores fantasmas na As­sembleia Legislativa e Câmara Municipal de Goiânia.

O deputado estadual Da­niel Messac (PSDB), o vereador de Goiânia Divino Ro­dri­gues (Pros) e o vereador de Mi­naçu Fábio de Souza San­ta­na (PDT) também são alvos da denúncia, que foi protocolada na quinta-feira, 10. O MP pediu a suspensão imediata do exercício das funções públicas dos três legisladores.

Ao menos 90 pessoas estão sendo investigadas há mais de um ano. As apurações resultaram na deflagração da Opera­ção Poltergeist. Na segunda-feira, 7, o sobrinho e o irmão de Milton Campos, ex-diretor-geral da Assembleia, foram liberados. Adail­ton Ferreira Cam­pos e Bruno de Freitas Maciel se apresentaram depois. No sábado anterior, 5, Milton e a cunhada Silma Adriane Mon­teiro da Silva (esposa de A­dailton) foram liberados com mais sete pessoas, também acusadas de envolvimento.

Messac e Divino estariam praticando nepotismo cruzado entre a Câmara e Assembleia. O irmão de Perillo é acusado por peculato e repasse de salário de seu motorista Geraldo da Silva Valverdes, possível funcionário fantasma. Promo­tores de Justiça suspeitam do uso de notas ficais de serviços não realizados para desvio de recursos, além da contratação de funcionários fantasmas.

semana.qxdEntre Aspas

Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, sobre pré-candidatura de Antônio Gomide (PT) ao governo:

“Você tem credibilidade para ganhar a eleição”

 

Ampliação de CPI da Petrobrás é aprovada por Comissão do Senado

A Comissão de Constituição e Justiça aprovou o parecer do senador Romero Jucá (PMDB-RR) favorável a instalação mais ampla de uma comissão parlamentar de inquérito (CPI). Além das irregularidades na Petrobrás, a compra da Refinaria de Pasadena (Texas-EUA), por exemplo, será apurada no plenário as irregularidades no Metrô de São Paulo, do Distrito Federal e as atividades no Porto de Suape, em Pernam­buco. O candidato à Presidência Aécio Neves (PMDB-MG) comparou a decisão do CCJ ao Ato Institucional 5, editado no regime militar. A palavra final sobre a investigação deve ficar a cargo do Supremo Tribunal Federal (STF).

Marcha dos Prefeitos traz lista com reivindicações

Dezenas de prefeitos de diversos municípios goianos fizeram reivindicações na mobilização “Viva Seu Município”, na sexta-feira, 11. A mobilização faz parte da Marcha dos Prefeitos. Uma lista de reivindicações foi entregue ao governador Marconi Perillo, na porta do Palácio das Esmeraldas. São pontos referentes ao Fundo de Par­ticipação dos Municípios, com o pedido de aumento de 2% para os municípios, à desoneração do IPI, cujas contas são pagas pelos prefeitos e governadores, à apreciação da lei 12.734/12, sobre redistribuição de royalties de petróleo e gás natural, por exemplo. A Associação Goiana de Municípios (AGM) afirma que algumas questões devem ser resolvidas pela União. As reivindicações se estendem do Estado para a nação.

Assembleia aprova pacote do transporte público

O projeto do Passe Livre Estudantil (PLE) foi aprovado na Assembleia Legislativa de Goiás, na quarta-feira, 9. O texto segue para sanção do governador. A Assembleia também aprovou o Fun­do Metro­politano de Trans­por­tes Co­letivos, que pode ser usado para gratuidades de passagens para idosos, deficientes, crianças até 12 anos e meia passagem dos estudantes. Além disso, foi aprovada con­figuração da Câmara Delibe­ra­tiva de Transportes Coletivos (CDTC), determinando que o comando do órgão seja alternado em rodízio, a cada dois anos, entre os prefeitos que compõem a Câmara. Antes, o PLE envolvia a­pe­nas a capital goiana. Agora, o passe livre foi ampliado a todos os municípios da região. O novo texto determina, tam­bém, o porcentual que cada es­fera terá que investir no PLE e ex­clui a obrigatoriedade de comprovação da renda familiar ou de existência de benefícios de programas so­ciais. Serão 48 passagens por mês para cada um dos 115 mil estudantes beneficiados.

Papa pede perdão por abusos cometidos por padres

Na sexta-feira, 11, o papa Francisco pediu perdão, publicamente, pelos abusos sexuais cometidos por padres a crianças. O pronunciamento foi feito aos membros do Escritório Internacional Católico para Infância. Os crimes têm levantado duras críticas à Igreja Católica nos últimos anos. “Eu me sinto compelido a assumir pessoalmente todo o mal cometido por alguns padres, poucos em número, obviamente, não comparáveis ao total de padres e a pedir, pessoalmente, perdão pelos danos que eles causaram por terem abusado sexualmente de crianças”, disse o papa Francisco. Uma comissão já havia sido criada pelo papa para promover a proteção de crianças e adolescentes.

Urgência em contrato da Celg

O presidente da Celg Par, José Fernando Navarrete, afirmou na quinta-feira, 10, que espera uma definição das avaliadoras da Celg e Eletrobrás sobre o valor das ações da Celg D. Para o presidente, o prazo da definição é até o feriado da Semana Santa (21 de abril). Na­varrete espera que a Funa­pe/UFG, avaliadora da Celg, e Deloitte, da Eletrobrás convirja o preço em um só. Se o prazo for cumprido, o contrato de compra e venda poderá ser assinado. Caso contrário a atual gestão terá que começar a pagar a dívida de R$ 3,5 bilhões, assumidos pela Celg Par, em 2011. Ainda faltam R$ 2,5 bilhões para serem quitados em até cinco anos. “Temos que ir liquidando débitos a médio prazo e alongando outra dívida. Precisa­mos ter o fluxo de caixa com capacidade de investimento”, afirma o presidente da Celg Par.

Deixe um comentário