Zona rural de Catalão ficou mais de uma semana sem energia, denuncia vice-presidente da Fecomércio-GO

“A gente reclamava da Celg, mas era feliz e não sabia”, afirma Geraldo Vieira Rocha

Vice-presidente da Fecomércio-GO e presidente do Sindicato do Sindilojas Catalão, Geraldo Vieira Rocha | Foto: Reprodução

O primeiro vice-presidente da Fecomércio-GO e presidente do Sindicato do Sindilojas Catalão, Geraldo Vieira Rocha, denunciou interrupção da energia por mais de uma semana, neste mês de novembro, na zona rural de Catalão. “É um descaso grande com a área produtiva”, resumiu ele sobre a atuação da Enel.

“Na região de Santo Antônio de Rio Verde, que é distrito de Catalão, ficamos oito dias contínuos sem energia. Com isso, tivemos um prejuízo grande para os produtores”, explicou o vice-presidente da Fecomércio-GO. “Pessoal que tira leite perdeu uma quantidade significativa de produto, donas de casa perderam carnes e outros alimentos em suas geladeiras”, acrescentou.

Ele explicou ainda que os produtores estão pedindo reparação dos danos e já se organizam para adotar medidas judiciais. “O Sindilojas apoia esta medida porque esta situação afeta, inclusive, investimentos”, aponta Geraldo, ao destacar a falta de estrutura fornecida pela Enel para quem quer abrir novos negócios.

Resposta

“Estávamos iniciando o plantio de soja, precisando fazer o tratamento das sementes. E não podíamos fazer, porque não tinha energia, tendo que buscar geradores”, lamenta Geraldo. “Parece que eles diminuíram o número de prestadores de serviço, apesar de ter aumentado o valor da energia. A gente faz as solicitações e é a mesma coisa de não estar fazendo. Isso tem angustiado os produtores”, completou.

Para Geraldo Vieira Rocha, existe alguma coisa errada em relação à empresa. “Está visando muito a parte financeira e se esquecendo de investir na prestação de serviço”, acusa. “A gente reclamava da Celg, mas era feliz e não sabia”, ironiza.

Procurada pelo Jornal Opção, a Enel emitiu a seguinte nota:

A Enel Distribuição Goiás esclarece que tem normalizado o fornecimento de energia para os clientes afetados pelas chuvas, acompanhadas de fortes ventos e descargas atmosféricas, que atingiram diversas regiões do Estado nas últimas semanas. A companhia tem um compromisso com os clientes goianos e está dedicando todos os esforços para recuperar a rede elétrica de Goiás. A empresa destaca que mais do que dobrou o número de equipes em campo e está reforçando ainda mais o atendimento, com técnicos vindos de outros Estados onde também atua. A distribuidora também está utilizando três helicópteros para agilizar o atendimento em locais isolados, especialmente na zona rural. Com as aeronaves, equipes conseguem realizar os atendimentos que não precisam da substituição de estruturas, como postes e fios, e nos casos em que são necessários reparos estruturais, identificam os materiais necessários e repassam para as equipes de solo, otimizando o atendimento.

A Enel acrescenta, ainda, que desde que assumiu a distribuidora em fevereiro de 2017, investiu cerca de R$ 2 bilhões até setembro deste ano, cerca de 3,5 vezes mais do que os níveis históricos investidos antes da privatização para aumentar a capacidade do fornecimento e melhorar a qualidade do serviço em todo o Estado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.