Zé Eliton mantém foco nas propostas e Daniel assume de vez papel de oposição

No terceiro debate entre candidatos ao governo de Goiás, Caiado acaba sendo apagado e é mais uma vez atropelado por emedebista

Divulgação

Realizado na manhã desta quinta-feira (30/8) pelos sites ARedação, Mais Goiás e Diário de Goiás, o terceiro debate entre candidatos ao governo de Goiás consolidou as estratégias dos cinco governadoriáveis Ronaldo Caiado (DEM), Zé Eliton (PSDB), Daniel Vilela (MDB), Kátia Maria (PT) e Weslei Garcia (PSOL) na disputa ao Palácio das Esmeraldas.

Se comparado aos outros dois primeiros debates, realizados pela Rádio Interativa e pela TBC nesta semana, o embate desta quinta foi o mais movimentado e contou com confrontos mais diretos entre os candidatos.

O destaque, neste quesito, vai para Daniel Vilela. O emedebista manteve a tônica dos programas anteriores e assume de vez o papel de oposição. O jovem deputado não poupou críticas à atual gestão e foi ainda mais severo ao se direcionar a Caiado, líder nas pesquisas de intenção de voto.

O deputado voltou a enfatizar que Caiado age com incoerência política e lembrou que o senador esteve junto ao atual grupo político que comanda o Estado por 16 anos, participando, inclusive, da indicação de Zé Eliton à vice do ex-governador Marconi Perillo.

Caiado tentou desmoralizar Daniel e chegou a dizer que o jovem político estava destruindo o próprio futuro na política. O emedebista não deixou as críticas passarem em branco e apontou, mais uma vez, para a incoerência política do opositor. “Até poucos dias, o senhor estava me convidando para ser seu vice e tecendo elogios”, alfinetou.

Enquanto isso, Caiado mais uma vez se perdeu no embate. Sem propostas exequíveis, o democrata deixou de responder a questionamentos sobre programas sociais e comércio exterior, além de dar respostas vagas sobre cultura e saúde.

Frente ao despreparo do senador, a petista Kátia Maria também mencionou a incoerência do senador ao tentar desarmar seus oponentes tendo como foco a trajetória política. “Quando fala do seu passado, que tá há 30 anos do poder, não pode, é desespero. Quando fala do passado dos outros, aí tá tudo bem”, mencionou a candidata.

Em segundo lugar mas pesquisas de intenção de voto, o governador Zé Eliton, por sua vez, manteve o tom propositivo, ao mesmo tempo que apontou a falta de projetos dos seus oponentes. O tucano mencionou ao menos duas ações que pretende implantar, em caso de reeleição, e reforçou a continuidade dos atuais programas da administração estadual.

Questionado sobre a força do ex-governador e candidato ao Senado Marconi Perillo (PSDB) na campanha e no governo atual, o candidato ressaltou as realizações das últimas gestões e avaliou ter muito orgulho de tudo o que foi construído por Marconi. Ainda sim, fez questão de deixar claro que assume o protagonismo da corrida ao governo de Goiás. “Não sou filho de ex-governador e minha história quem escreve sou eu”, arrematou.

Deixe um comentário