Zander diz que problema da gestão Iris é “morosidade”

Vereador negou que parlamentares da Câmara estejam insatisfeitos porque “não receberam cargos” na prefeitura e criticou falta de ação da gestão peemedebista 

O vereador Zander Fábio (PEN) criticou, em entrevista ao Jornal Opção, a lentidão da gestão Iris Rezende (PMDB) para resolver os problemas da capital. Comentando a afirmação do peemedebista de que ele não teria maioria na Câmara porque não “deu cargos” ao parlamentares, Zander disse que não tem interesse em indicar ninguém e que está insatisfeito, sim, com a falta de atitudes concretas do Paço.

“Eu não estou insatisfeito com não ter cargos, mas sim com a morosidade. Eu votei no prefeito Iris, então a minha indignação é porque eu acho que ele está demorando demais para agir”, criticou o vereador. Ainda sobre a questão dos cargos, Zander complementou: “Não fui atrás e não irei para que seja feita uma troca nesse sentido,  já tenho os cargos que eu preciso para eu meu mandato, que são os do meu gabinete”.

Questionado sobre as contínuas afirmações do PMDB de que pegou a prefeitura sucateada e, por isso, estaria impossibilitado de investir e realizar obras, por exemplo, Zander se mostrou cético. Presidente da Comissão Especial de Inquérito (CEI) da Herança, que investiga as contas da prefeitura entre 2008 e 2016, o vereador lembra que a situação do Executivo municipal vem se complicando há tempos.

“A dívida vem dos últimos quatro prefeitos. Eu venho brincando que quando você casa com a viúva, se ela tiver filhos, você tem que cuidar dos filhos também. Você tem que notificar os órgãos interessados nesse eventual rombo? Tem, mas tem que trabalhar”, defendeu o vereador.

Zander também lembrou as denúncias de seu colega de casa, Elias Vaz (PSB), de que a prefeitura tem, na verdade, saldo positivo. “A prefeitura tem receita, tem dinheiro em caixa, então mesmo o governo anterior deixado dívidas, tem como fazer muita coisa. A população nos procura o tempo todo para reclamar.”

Além de questionar a real situação dos cofres, Zander também lembrou que o PMDB participou ativamente da administração do ex-prefeito Paulo Garcia (PT), e portanto, é muito difícil que não soubesse das eventuais dificuldades financeiras por que passa o Paço Municipal.

O vereador foi crítico principalmente aos secretários de Saúde, Fátima Mrue, e de Educação, Marcelo Costa: “Ambos vêm tomando decisões unilaterais, de pessoas que não conhecem a cidade”. “A Saúde, diferentemente de qualquer outra área, não espera. Na minha opinião, ela está tomando decisões como se toma dentro dentro de uma sala de pesquisa, não é assim”.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.