Youtube proíbe Câmara Municipal de usar canal da Escola do Legislativo

Sessões ficam sem transmissão nesta terça-feira em penalidade por divulgar fake news

O Youtube proibiu a Câmara Municipal de Goiânia de realizar transmissões também pelo canal da Escola do Legislativo. Na segunda-feira, 25, o perfil da Casa havia sido suspenso por sete dias por conta da divulgação de informações falsas em vídeos de ataques à vacina contra a Covid-19. A vereadora Gabriela Rodart (DC), que promoveu a audiência pública que gerou a primeira notificação de alerta de suspensão, em 17 de setembro de 2021, declarou que não recebeu mais detalhes sobre a situação e possível envolvimento dela com a decisão.

Na segunda-feira, 25, após comunicada da suspensão temporária das atividades de seu canal no YouTube, a TV Câmara Goiânia passou a transmitir as atividades legislativas da Câmara de Goiânia por meio de seu canal da Escola do Legislativo, na mesma plataforma.

No comunicado feito nesta terça-feira, 26, o YouTube afirma que “se reserva o direito de restringir a criação de conteúdo de acordo com os próprios critérios”, e que “caso sua conta tenha sido desativada ou restringida de usar recursos do YouTube, você não poderá usar outro canal para contornar essas penalidades”. Alerta ainda que “essa regra se aplicará a todo o período em que a restrição estiver ativa” e que “considera a violação dela um descumprimento dos nossos Termos de Serviço, o que pode levar ao encerramento da sua conta”.

Com a nova restrição, a área técnica da TV Câmara Goiânia busca alternativa para as transmissões das atividades do Poder Legislativo durante o período de suspensão pelo YouTube, que se encerra na próxima segunda-feira, 2 de maio. Na manhã desta segunda-feira, 25, a TV Câmara de Goiânia foi comunicada pela rede social, no ambiente da administração da plataforma, da aplicação de suspensão temporária de 7 dias por descumprimento de normas de uso. A reunião da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) foi realizada sem transmissão, mas a sessão do plenário, que começou às 9 horas, entrou no ar pelo perfil da Casa no Facebook.

No informe, o YouTube apresenta os conteúdos considerados inapropriados de forma genérica, classificados como “informações médicas inverídicas”. A primeira citação se refere a conteúdo transmitido em 31 de agosto de 2021. A segunda, em 17 de setembro do ano passado. No primeiro caso, a denúncia de usuários foi feita na mesma data. No segundo episódio, a denúncia de conteúdo inapropriado foi feita no dia último dia 24 de abril.

A menção ao dia 31 se refere a horário em que estava sendo transmitida a sessão plenária. No caso do dia 17 de setembro, menciona audiência pública realizada no período da tarde. Em ambos os casos, não é possível saber a que trechos ou declarações elas se referem. Em nota, a Diretoria de Comunicação da Câmara de Goiânia informou que atua para garantir a transmissão regular de suas atividades parlamentares, conciliando as regras estabelecidas pelas plataformas (que por sua vez cumprem normas definidas pelas instituições competentes) e o exercício dos mandatos.

Nota sobre a suspensão das transmissões

Em cumprimento a nova restrição estabelecida pelo YouTube, a Câmara de Goiânia está suspendendo as transmissões ao vivo de suas atividades legislativas também no canal da Escola do Legislativo. A TV Câmara Goiânia foi informada no final da tarde desta terça-feira (26) pelo escritório da plataforma no Brasil que não é permitido o uso de outro canal da plataforma para transmissões ou postagens enquanto a suspensão de sete dias imposta na última segunda-feira, 25, pela rede social estiver ativa.

“O YouTube também se reserva o direito de restringir a criação de conteúdo de acordo com os próprios critérios. Caso sua conta tenha sido desativada ou restringida de usar recursos do YouTube, você não poderá usar outro canal para contornar essas penalidades. Essa regra se aplicará a todo o período em que a restrição estiver ativa. Consideramos a violação dela um descumprimento dos nossos Termos de Serviço, o que pode levar ao encerramento da sua conta”, afirma o comunicado da plataforma.

Com a nova restrição, a área técnica da TV Câmara Goiânia busca alternativa para as transmissões das atividades do Poder Legislativo durante o período de suspensão pelo YouTube, que se encerra na próxima segunda-feira, 2 de maio. Na manhã desta segunda-feira (25), a TV Câmara de Goiânia foi comunicada pela rede social, no ambiente da administração da plataforma, da aplicação de suspensão temporária de 7 dias por descumprimento de normas de uso.

No informe, o YouTube apresenta os conteúdos considerados inapropriados de forma genérica, classificados como “informações médicas inverídicas”. A primeira citação se refere a conteúdo transmitido em 31 de agosto de 2021. A segunda, em 17 de setembro do ano passado. No primeiro caso, a denúncia de usuários foi feita na mesma data. No segundo episódio, a denúncia de conteúdo inapropriado foi feita no dia último dia 24 de abril.

A menção ao dia 31 se refere a horário em que estava sendo transmitida a sessão plenária. No caso do dia 17 de setembro, menciona audiência pública realizada no período da tarde. Em ambos os casos, não é possível saber a que trechos ou declarações elas se referem. Em nota, a Diretoria de Comunicação da Câmara de Goiânia informou que atua para garantir a transmissão regular de suas atividades parlamentares, conciliando as regras estabelecidas pelas plataformas (que por sua vez cumprem normas definidas pelas instituições competentes) e o exercício dos mandatos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.