TCM já havia recusado contas do petista enquanto prefeito de Anápolis. Dias antes da votação de 5 de outubro, TRE-GO indeferiu candidatura dele

Petista teve votos do primeiro turno validado | Foto: Jornal Opção/Arquivo
Petista teve votos do primeiro turno validados | Foto: Jornal Opção/Arquivo

Os votos do ex-candidato a governador pelo PT Antônio Gomide foram considerados válidos pelo Tribunal Regional Eleitoral de Goiás (TRE-GO) durante sessão extraordinária no último domingo (26/10). Derrotado no primeiro turno, o ex-prefeito de Anápolis ficou na quarta colocação no pleito, com 10,09% da preferência do eleitorado.

O julgamento ocorreu pelo fato do petista estar com um pedido de indeferimento de sua candidatura. O motivo foi a não aprovação de suas contas enquanto prefeito de Anápolis, de 2010. Conforme o TRE-GO, o parecer desfavorável a Antônio Gomide se deu em decorrência à mudança de entendimento do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) quanto ao órgão competente para julgar as contas da gestão municipal.

[relacionadas artigos=”14908,18530″]

Apesar de seus balanços terem sido aprovados na Câmara Municipal de Anápolis, o Tribunal de Contas do Município (TCM) não teve o mesmo entendimento, o que ocasionou o imbróglio judicial.

A questão central que permeava a impugnação ou não da candidatura dele é que a anulação de seus votos ocasionaria a vitória do candidato à reeleição Marconi Perillo (PSDB) no primeiro turno, já que teria mais de 50% do eleitorado goiano. Desta forma, o embate entre o tucano — reeleito no dia 26 de outubro — e Iris Rezende (PMDB) no segundo turno poderia não ocorrer.

A defesa do petista entrou com uma medida cautelar em Brasília e deve também entrar com um recurso contra a decisão. O TCM deve proferir nova análise administrativa a respeito de três das 14 irregularidades apontadas nas documentações de Antônio Gomide.

O político teve as contas reprovadas pelo TCM às vésperas do primeiro turno. Consequentemente, a candidatura dele foi indeferida pelo TRE-GO. Os dados apresentados por ele já haviam sido negados duas vezes.