Volta dos trabalhos na Assembleia é marcada por troca de acusações entre oposição e situação

Deputado José Nelto não poupou críticas à gestão do Estado; já Virmondes Cruvinel defendeu o fim das “picuinhas” e “ranços anacrônicos”

Foto: Foto Y. Maeda

Foto: Foto Y. Maeda

Depois do recesso de dezembro e janeiro, que só terminou após a semana do carnaval, a Assembleia Legislativa de Goiás iniciou o ano legislativo de 2016 com sua primeira sessão no plenário. O presidente da Casa, deputado estadual Helio de Sousa (DEM), cumpriu o regimento e abriu os trabalhos do Legislativo goiano.

Com apresentação da banda da Polícia Militar do Estado de Goiás (PM-GO), que executou o Hino Nacional, um representante da oposição e outro da situação na Casa subiram à tribuna para discursar. O primeiro deles foi o deputado estadual José Nelto (PMDB), líder de seu partido na Assembleia e membro da oposição ao governo estadual.

Com críticas pontuais a muitos programas do Estado e a outras ações da gestão tucana, o peemedebista citou, dentre outros pontos, a implantação de Organizações Sociais (OSs) na Saúde e na Educação e o processo de privatização da Celg. “Definitivamente, a população se cansou! Goiás não confia e não se sente mais representado”, declarou José Nelto do plenário da Casa.

Deputados Virmondes Cruvinel e José Nelto, durante pronunciamento | Foto: Foto Y. Maeda

Deputados Virmondes Cruvinel e José Nelto, durante pronunciamento | Foto: Foto Y. Maeda

Em seguida, o deputado Virmondes Cruvinel (PSD) tratou de defender o governo estadual e o enfrentamento de um ano de 2015 com uma das maiores crises evidenciadas no País com uma “ampla” reforma administrativa.

O parlamentar comparou a oposição em Goiás com a crise espiritual vivida pelo personagem Tyler Durden, do livro O Clube da Luta (1996), de Chuck Palahniuk. “É incrível que, em quase 20 anos de janela, essa oposição nunca tenha apresentado sequer um projeto plausível para o desenvolvimento do nosso Estado.”

Segundo Virmondes, é preciso superar as “picuinhas” e “ranços anacrônicos” para trabalhar pelo bem da população do Estado. “Eu gostaria de pedir aos colegas da oposição que o tra-tra-tra da metralhadora fique somente como música de carnaval. O que precisamos é de união para superar um momento difícil vivido por todo o país.”

Em seguida, o governador em exercício, o vice-governador José Eliton (PSDB), defendeu, durante pronunciamento, programas adotados pelo Estado em 2015, a busca pela inclusão social, o resultado positivo da balança comercial e outras ações. “A ousadia nunca deixará de ser uma marca desse governo”, pontuou José Eliton.

Presenças

Compuseram a mesa na tarde desta segunda-feira no plenário da Assembleia o governador em exercício, o presidente do Tribunal de Contas dos Municípios, conselheiro Honor Cruvinel, o representante do Tribunal de Contas do Estado, Sebastião Tejota, o promotor de Justiça, Jales Guedes Mendonça, representante do Ministério Público e o assessor parlamentar João Wanderlei de Ávila, representante do senador Wilder Morais (PP).

Estiveram no plenário durante a sessão solene os secretários estaduais João Furtado Neto, da Casa Civil, Henrique Tibúrcio, de Governo, Joaquim Mesquita, da Segurança Pública e Administração Penitenciária, Thiago Peixoto, de Gestão e Planejamento, Lêda Borges, da Secretaria Cidadã, e Afrêni Gonçalves, presidente estadual do PSDB. (Com informações do site da Assembleia)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.