Vitti diz que processo de indicação de vice do PSDB “poderia ter sido melhor trabalhado”

Depois de da bancada federal rejeitar o cargo de vice na legenda, o deputado estadual José Vitti foi chamado para integrar diretório

Foto: Marcos Kennedy

“Esse cargo não me ajuda de forma alguma como deputado estadual. Não há projeto pessoal. Quero apenas ser útil à legenda”, disse deputado estadual José Vitti, novo vice-presidente do PSDB goiano | Foto: Marcos Kennedy

Líder do governo na Assembleia Legislativa, José Vitti agora integra o diretório estadual junto com o ex-deputado estadual Afrêni Gonçalves, homem de confiança do tucano-chefe. Confirmado nesta terça-feira (23/6), o novo vice-presidente ocupa espaço que deveria ser de um deputado federal mas, rejeitado pelos seis integrantes da bancada, passou para o tucanato da Assembleia.

Os deputados federais queriam o cargo de presidência do PSDB, que seria ocupado pelo parlamentar Alexandre Baldy. Após longo almoço com o tucano-chefe, desejo foi frustrado e Baldy nem chegou a formar chapa. Posteriormente, no dia da eleição do diretório, os deputados federais não aceitaram ocupar o vice da legenda.

Questionado sobre os colegas, Vitti não os critica, dizendo não ter visto vaidade por parte deles. “Acho que o processo poderia ter sido melhor trabalhado, porém, a partir do momento que não houve indicação [da bancada federal], é notório e público que houve um alinhamento deles em não aceitar uma vice”, sustentou.

Sem adentar no assunto, o deputado estadual disse apenas que entende o fato de não terem aceitado um “cargo de consolação”, mas que não sabe exatamente os argumentos utilizados pelos parlamentares para negarem cadeira.

O governador, segundo Vitti, já havia feito o convite ao deputado estadual que, antes de aceitar, conversou com os colegas de bancada a fim de informá-los, e até mesmo consultá-los. O tucano-chefe, entretanto, deixou claro que a vaga estava reservada para um deputado federal. Com a negativa, sobrou para ele. “Eu disse que meu nome estava à disposição”, explicou José Vitti.

Sobre a possibilidade de outro deputado estadual ter mostrado interesse pelo cargo agora ocupado por ele, o líder do governo afirmou que “não há uma divisão interna na bancada estadual”. Garantindo não ter vaidade e trabalhar sempre para ajudar o governador, Vitti afirma que o que nunca quis é um desgaste.

Com a intenção de fortalecer a legenda para 2018, Vitti frisa que momento é de trabalhar nos nomes para prefeitos, além de aproveitar a janela partidária a ser aberta após reforma política e conseguir mais nomes para migar para o PSDB. “Esse cargo não me ajuda de forma alguma como deputado estadual. Não há projeto pessoal. Quero apenas ser útil à legenda.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.