Vitória de Arthur Lira na presidência da Câmara pode garantir reapresentação de proposta da nova CPMF

Candidato do Palácio doven Planalto, deputado já se mostrou favorável ao tributo desde que fosse aprovado com uma alíquota menor

Arthur Lira | Foto: Reprodução

À frente na disputa pela presidência da Câmara dos Deputados, que tem eleições marcadas para o dia 1 de fevereiro, Arthur Lira (Progressistas) pode garantir  —  caso vença o pleito  —  que a proposta da nova CPMF, defendida pelo ministro da Economia Paulo Guedes, seja reapresentada.

Isso porque o deputado já se manifestou favorável ao retorno do tributo, desde que fosse aprovado com uma alíquota mais baixa. A proposta já entrou e saiu da pauta do governo várias vezes nos últimos dois anos, mas a avaliação é de que agora, com o cenário pós-pandemia o projeto possa ganhar força.

O argumento é de que o tributo, que seria cobrado em todas as transações, poderia compensar uma redução nos encargos cobrados das empresas sobre os salários dos funcionários, estimulando a abertura de mais vagas de empregos.

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) já sinalizou que aceitaria uma alíquota de 0,10% para o novo tributo. Esse porcentual seria cobrado tanto no débito como no crédito, na retirada e no depósito de recursos, ou seja, nas duas pontas.

O atual presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), sempre se posicionou contra a volta do tributo e chegou a afirmar que, enquanto comandasse a Casa, a nova CPMF não seria discutida entre os deputados. (Essa matéria contém informações do Estadão).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.