Vistoria em presídio encontra roteadores na cela dos detentos

Inspeção feita na prisão Gabriel Ferreira Castilho, conhecida como Bangu 3, apreendeu 26 celulares, além de dois roteadores

A vistoria iniciada na manhã desta terça-feira (3/4) no presídio Gabriel Ferreira Castilho, conhecida como Bangu 3, no Complexo de Gericinó, zona oeste do Rio, apreendeu 26 aparelhos celulares e até dois roteadores que distribuem sinal de internet. A penitenciária abriga os principais líderes da maior facção criminosa do Rio, que não foram transferidos para presídios federais fora do estado por decisão da Justiça.

A ação de hoje foi feita por 120 inspetores de segurança e administração penitenciária, incluindo o Grupamento de Intervenção Tática e o Grupamento Operações com Cães.

De acordo com o secretário de Administração Penitenciária, David Anthony Gonçalves Alves, “as fiscalizações nas unidades prisionais sempre vão ocorrer de forma sistemática e aleatória”.

Esta foi a segunda vistoria feita em Bangu 3 em menos de uma semana. No último dia (27/3), militares do Grupo de Intervenção Federal das Forças Armadas, com apoio de servidores da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), fizeram uma busca nas celas com a finalidade de encontrar aparelhos celulares, armas e drogas. Mas, na ocasião, a ação teve apenas um celular apreendido.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.