Villa Mix desmente denúncia de que estabelece “padrões” e diz rejeitar preconceitos

Em resposta à polêmica envolvendo uma cliente acima do peso, casa noturna garante que não discrimina ninguém

Em nota enviada ao Jornal Opção, a casa noturna Villa Mix de São Paulo respondeu à denúncia de uma jovem, que usou o Facebook para acusar a boate de tratar de forma diferenciada pessoas acima do peso.

No comunicado, a casa informa que “rejeita qualquer tipo de preconceito e de discriminação”, e garante que não estabelece um “padrão” para se frequentar o ambiente.

Em um relato publicado no Facebook, no último domingo (10), a jovem Carolina Marcelino informou que teria sido expulsa da boate por questionar os critérios de liberação de entradas na casa.

Tudo começou quando, segundo a internauta, ela e outros amigos entraram de graça no estabelecimento por estarem na lista de um determinado promoter, enquanto sua prima, que também estava na relação de nomes, teve que, sem nenhuma razão aparente, pagar a entrada.

Após questionar um segurança da casa sobre a diferença de tratamento, a jovem foi informada pelo profissional que sua prima “fugia do padrão da casa”, sugerindo que ela estava acima do peso.

No comunicado, a Villa Mix explica que não há seleção alguma para entrar no local e frisou que a casa não trabalha com listas “VIP” de aniversário, conforme consta no relato da jovem.

“Analisando os fatos fica difícil crer na alegação de que um segurança afirmaria sobre não entrada gratuita na casa por fugir do padrão do estabelecimento”, acrescenta o comunicado.

Sobre o argumento da jovem de que há certos tipos de vestimenta que não são permitidos na casa, a nota confirma a informação, mas pondera que no site da casa é possível verificar quais são as roupas proibidas no estabelecimento, “facilitando à clientela a entrada no local sem problemas”. Confira a resposta na íntegra:

A casa de show Villa Mix é uma casa de entretenimento extremamente popular, a qual rejeita qualquer tipo de preconceito e descriminação. O valor moral e o respeito aos clientes são essenciais para alcançar uma história com mais de quatro anos de sucesso. Diante da acusação referente à noite do dia 09 de Abril de 2016, na qual, alega-se que uma cliente não recebeu uma entrada grátis por estar acima do peso, vamos aos fatos.

De início, vale lembrar que a casa noturna Villa Mix é pessoa jurídica idônea, geradora de empregos, cumpridora de suas obrigações e com o passado ilibado. A única maneira de se manter assim é por meio dos seus clientes. Infelizmente a casa de show não tem capacidade de manter seu funcionamento distribuindo entrada gratuita para todos os seus frequentadores.

Na referida acusação, percebe-se que as clientes já haviam entrado no estabelecimento, lê-se os seguintes trechos na mesma: “entramos”, “conseguimos ir até o caixa”. Ou seja, não houve seleção alguma para entrar no local, não existe “padrão da casa” para frequentar o ambiente.

Ainda existe a alegação, por parte da cliente que afirma ser prima de quem sofrera a suposta descriminação; sobre ela, sua prima e as amigas dizendo que todas elas “eram zeradas (entende-se entrada gratuita) por causa da tal lista de aniversário”. Não existe lista “VIP” de aniversário na casa de show Villa Mix, pode-se verificar no site o preço com nome na lista, que já apresenta um desconto em relação a quem entra sem o nome na lista. É importante ressaltar que qualquer pessoa pode colocar seu nome na lista por meio de contato indicado no site.

Com relação ao poder dos “promoters” em garantir entrada grátis aos clientes, vale lembrar que a casa já determina um número de entradas gratuitas que cada “promoter” poderá distribuir na noite. Como o próprio nome da função já indica, eles têm a missão de promover o estabelecimento. Ou seja, trazer o maior número de clientes possível para os eventos. Dessa maneira, é habitual que o funcionário não libere um grupo inteiro de forma graciosa, pois estaria restringindo sua promoção apenas àquelas pessoas que já entrariam juntas. O mais normal é que liberem algumas pessoas do grupo por cortesia e outras cobrando, assim, podendo divulgar a casa para mais grupos. Corriqueiras são às vezes em que clientes, os quais entram em um grupo com pagantes e “VIP’s” dividam o valor da entrada entre si.

Na tentativa de difamar a casa, a autora da acusação afirma que selecionam o tipo de tênis com as seguintes palavras: “Não pode usar tênis da marca “X””. Não existe qualquer tipo de regra quanto à marca de tênis. No site podem-se verificar as restrições quanto à vestimenta, ficando fácil para que o cliente saiba quais roupas são proibidas no estabelecimento, com o intuito de que todos entrem sem problema no local.

Analisando os fatos fica difícil crer na alegação de que um segurança afirmaria sobre não entrada gratuita na casa por fugir do padrão do estabelecimento. Ainda mais pelo fato da segurança não ter poder algum quanto á entrada dos clientes, seja ela grátis ou não. Vale lembrar que os seguranças são funcionários de empresa contratada e têm a missão de estabelecer à ordem, garantindo conforto aos clientes.

Por fim, o “Villa Mix” se coloca à disposição para prestar quaisquer esclarecimentos que se façam necessários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.