Talvez você já tenha visto sem intenção um vizinho fazendo sexo com as janelas abertas. A situação é mais comum do que muita gente pensa, o que muda é a reação do “espectador”. Mas fica o questionamento: quem está errado?

Um adendo, esse ato tem um nome: voyeurismo, a prática que consiste num indivíduo conseguir obter prazer sexual através da observação de pessoas. E a prática ainda é um tabu quando se conversa sobre sexualidade. A palavra tem origem na língua francesa e os adeptos do voyeurismo são os chamados voyeur, ou “aquele que vê”.

Nas redes sociais alguns defendem que o casal tem direito de realizar sua atividade sexual onde quiserem dentro de casa, e o errado é quem observa. Já outros internautas dizem que defendem que, de dentro da própria casa, cada um faz o que desejar, inclusive olhar pela janela. O incomodado, que feche as cortinas.

“Quem está fazendo sexo de janela aberta flexibiliza o seu próprio direito à intimidade e não pode exigir que o vizinho feche a sua própria janela, ou pare de observar. Se o casal estiver incomodado com a postura do vizinho, que feche a sua própria janela”, afirma o advogado e especialista em direito constitucional Max Kolbe, em entrevista ao Metrópoles.

Porém, essa situação pode mudar quando o vizinho que está observando para e faz registros, sejam fotos, sejam vídeos. Neste caso, configura-se uma infração e cabem providências jurídicas por parte da vítima da invasão de privacidade.