Vídeo de reunião com Bolsonaro divide opiniões de deputados

No Twitter, presidente escreveu que “qualquer parte do vídeo que seja pertinente ao inquérito”, por ele, “pode ser levado ao conhecimento público”

Presidente da República, Jair Bolsonaro | Foto: Reprodução

Conforme mostrado pelo Jornal Opção, a Polícia Federal (PF) exibiu na manhã de ontem, em reunião confidencial, o vídeo da reunião em que o presidente Jair Bolsonaro supostamente ameaça o então ministro da Justiça e da Segurança Pública, Sérgio Moro caso mudanças de seu interesse não fosse realizadas nos quadros da PF. O tema foi alvo de comentários nas redes sociais que se estendem, inclusive, até a manhã desta quarta-feira, 13.

O próprio presidente falou sobre o assunto. No twitter, ele escreveu que “qualquer parte do vídeo que seja pertinente ao inquérito”, por ele, “pode ser levado ao conhecimento público”.

O líder do governo na Câmara dos Deputados também se posicionou. Para Vitor Hugo, o nada do que foi tornado público, vazado ou não, afeta Bolsonaro. “Preocupações com a segurança da família, para quem já levou facada e é chefe de Estado/governo de uma Nação, são normais. Nenhuma prova de interferência na Polícia Federal e interesse em processos sigilosos”. E finalizou: “Tempo de esforço perdido”.

Por outro lado, há que condene todo o sigilo por trás das gravações e pressione as autoridades a divulgarem o material. É o caso do deputado federal José Nelto que, na mesma rede social, escreveu que o País precisa saber “na íntegra” o teor do vídeo.

José Nelto Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

“É preciso transparência total. Não pode haver dúvida quanto aos atos do Presidente de uma República democrática. O momento é gravíssimo e preocupante. Não pode haver trocas e concessões para acobertar crimes”, declarou Nelto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.