Vice-governador lamenta “partidarização” da discussão sobre reajuste da passagem de ônibus

Para José Eliton, não é hora de procurar culpados e, sim, de oferecer transporte de qualidade. No entanto, não se esquiva: “Governo cumpre com suas obrigações”

Foto: Jornal Opção/Fernando Leite

Pepista nega responsabilidade do governo estadual em reajuste tarifário | Foto: Jornal Opção/Fernando Leite

*Com informações de Sarah Teófilo

Durante sessão ordinária inaugural dos trabalhos da Assembleia Legislativa de Goiás para o biênio 2015/16, nesta quinta-feira (19/2), o vice-governador José Eliton (PP) refutou as acusações por parte da gestão goianiense de que o reajuste da passagem de ônibus em quase 18% teria sido responsabilidade do governo estadual.

“O governo não só cumpre com as gratuidades previstas, como também com a subvenção ao transporte do Eixo Anhanguera, que é competência do governo”, ressaltou. Para José Eliton, a questão tem sido levada para o “campo político” e para a “partidarização”.

“Seria muito fácil eu transferir as responsabilidades para a prefeitura ou para as empresas do transporte coletivo, mas essa não é uma questão de achar culpados, e, sim, soluções”, acrescentou o pepista.

Na última sexta-feira (13), a Companhia Metropolitana do Transporte Coletivo (CMTC) anunciou que o reajuste no valor da passagem ocorreu devido à impossibilidade de desoneração da tarifa por aportes mensais assumidos, no último ano, pelo governo do Estado de Goiás.

No acordo, o tesouro estadual ficaria responsável por 50% do total das gratuidades da tarifa. À época, a resolução impediu que a passagem saltasse de R$ 2,70 para R$ 2,90. Dessa vez, no entanto, o acréscimo divulgado, e que passou a valer a partir da última segunda-feira (16), foi de 50 centavos.

De acordo com José Eliton, é necessário que os municípios da região metropolitana de Goiânia cumpram também com os compromissos firmados em abril do último ano. À época, ficou acertado que as gestões municipais ficariam responsáveis por metade do custeio das gratuidades do transporte coletivo, o que não ocorreu. “É uma questão para se ter espírito em conjunto”, defendeu o vice-governador.

2
Deixe um comentário

2 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
2 Comment authors
Adnaldo

Discordo plenamente do vice Governador. Tem de ter um culpado sim, este aumento é absurdo. Pois é o povo que elege os administradores, então precisa sim saber quem são os culpados, quem errou? Foi quem prometeu? Quem deixou de pagar? Se não pagou, porque prometeu? Agora tampar o sol com a peneira, e deixar para os mais humildes pagar é feio.

BARBOSA

CONCORDO PLENAMENTE COM O VICE GOVERNADOR.COMPROMISSO E CROPROMISSO SE ALGUEM FALHA ACONTECE EXATAMENTE O QUE ESTA ACONTECENDO NO CASO O AUMENTO DAS TARIFAS . O POVO QUE ELEGE OS ADMINISTRADORES COM CERTEZA SABE QUEM PROMETEU E NÃO CUMPRIU.