Lincoln Tejota defende uso inteligente dos estímulos ao setor produtivo, com avaliação de custos e resultados

Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

Lincoln Tejota comentou a respeito do diálogo entre Governo, que necessita abandonar políticas de incentivo para entrar no Regime de Recuperação Fiscal (RRF), e o setor produtivo. Segundo o vice-governador, a decisão da redução de determinados fomentos será tomada com base na verificação de saturação dos auxílios em determinadas áreas do Estado. 

“Em determinados setores há quantidade muito grande de estímulos”, afirmou Lincoln Tejota. “Os incentivos precisam ser usados de forma inteligente. No Nordeste goiano há um vazio assistencial, de indústrias, de geração de empregos. O impulso precisa ser usado onde é necessário.”

O vice-governador ainda disse que nos nove primeiro meses de mandato, o Governo focou em estruturar a máquina do Estado. Com uma analogia, Lincoln Tejota explicou: “É como levar um carro na mecânica para consertar o motor: é uma coisa que você não vê de fora, percebe apenas quando pisa no acelerador. Temos de reestruturar o Estado para deixá-lo responsivo.”