Empresário é dono da Consciente Construtora, indiciada pelo Ministério Público e alvo de investigação por fraudes no processo da CEI das Pastas Vazias 

Inoportuno é o adjetivo utilizado pelo vereador Elias Vaz (PSB) para descrever a homenagem concedida pela Câmara Municipal de Goiânia ao empresário Ilézio Inácio Ferreira, dono da Consciente Construtora, empresa indiciada no relatório final da Comissão Especial de Inquérito das Pastas Vazias e investigada pelo Ministério Público de Goiás (MPGO), por irregularidades na aprovação de projetos junto à secretaria de Planejamento Municipal.

[relacionadas artigos=”67981,66813,67461″]

“Sem entrar no mérito de culpar uma pessoa antes de uma decisão final da justiça, pelos indícios apurados até mesmo por esta Câmara, não é plausível realizar uma homenagem dessas enquanto as investigações estão em curso. Houve uma incompatibilidade e uma falta de respeito com o trabalho realizado em outras instâncias por esta Casa”, disse o vereador presidente da CEI das Pastas Vazias, Elias Vaz.

“Não estou dizendo que o empresário Ilézio Ferreira não poderá em momento algum receber uma homenagem da Câmara Municipal, mas o fato é que existe uma irregularidade na qual a empresa dele está envolvida. É preciso ter prudência para amanhã não cairmos no ridículo”, completou.

Ilézio Ferreira e outras 59 pessoas receberam na noite da última terça-feira (7/6), diploma de honra ao mérito em uma sessão especial do plenário em comemoração ao Dia Mundial do Meio Ambiente.

Já vereador Djalma Araújo (Rede) foi incisivo nas críticas à homenagem que, para ele, seria um “insulto” aos ambientalistas da cidade de Goiânia. “Para mim é uma piada homenagear quem está, ao longo dos anos, contribuindo para a verticalização da cidade, envolvido em escândalos de desrespeito aos trâmites necessários para obtenção de alvarás de construção. Para os ambientalistas, que têm uma visão e uma concepção de meio ambiente, em Goiânia, infelizmente, poucas pessoas mereceriam uma menção honrosa na data do Dia Mundial do Meio Ambiente”.

Ainda segundo o parlamentar da Rede Sustentabilidade, a Câmara seria submissa ao empresários do setor imobiliário, “A Câmara Municipal precisa acabar com essa prática de homenagear pessoas que tem o poder econômico, grandes empresários que não respeitam a legislação e parece que querem a cidade só para eles. Com essa homenagem, a uma pessoa investigada pela justiça, ficou bem claro que, em Goiânia, o poder legislativo é submisso aos grandes empresários”,

O evento, que homenageou ao todo 60 pessoas, foi idealizado e realizado pelo presidente da Comissão de Meio Ambiente, vereador Paulinho Graus (PDT). Apesar de responsável pelo evento, ele afirma que, de todos os homenageados, apenas 14 foram nomes escolhidos por ele – entre eles, o ex-prefeito Iris Rezende. Todos os outros nomes, inclusive o do empresário Ilézio Ferreira, foram indicação do presidente da Câmara Municipal, Anselmo Pereira (PSDB).

Durante o evento, Anselmo Pereira afirmou que o diploma de honra ao mérito concedido ao empresário é “uma homenagem justa a Ilézio, da Consciente Construtora, que tem grandes serviços prestados na área do meio ambiente em Goiânia”. A reportagem procurou o presidente da Câmara mas não conseguiu contato até a publicação da matéria.

À reportagem, o vereador Paulinho Graus preferiu não comentar a indicação do presidente da Casa mas fez questão de salientar que não teve acesso à lista de homenageados de Anselmo Pereira antes da noite da cerimônia.

Para o vereador Paulo da Farmácia (Pros), a homenagem não desrespeita o trabalho da CEI, da qual foi membro. “O que foi constatado pela comissão foi a irregularidade no Estudo de Impacto de Vizinhança (EIV) da obra, feito por empresa contratada. Isso já foi encaminhado ao Ministério Público e a Câmara já fez sua parte. A partir disso, a homenagem ao empresário tem relevância pelas contribuições que fez à cidade”.

Ilézio Inácio e sua Consciente Construtora foram investigados pela Comissão Especial de Inquérito das Pastas Vazias — a CEI das Pastinhas –, um dos maiores escândalos de Goiânia. A CEI foi criada em junho para apurar denúncias de supostas irregularidades na emissão de alvarás e concessões na extinta Secretaria Municipal de Planejamento (Seplam), durante a última gestão de Iris Rezende (PMDB), entre 2007 e 2010 — que também foi homenageado no mesmo evento.

Paulo da Farmácia é ainda membro da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) que atualmente avalia o decreto legislativo proposto por Djalma Araújo para a suspensão do Alvará de Construção do empreendimento Nexus Shopping & Bussiness, da Consciente Construtora. Depois que o projeto foi desarquivado, Paulo da Farmácia foi escolhido como novo relator.

À reportagem, ele afirmou que não ainda não teve acesso ao projeto, mas afirma que já pediu os autos do alvará concedido pela Agência Municipal de Meio Ambiente (Amma). No último dia 16 de maio, a Amma concedeu Licença Ambiental de Instalação da obra. A partir disso, as empresas Consciente Construtora e a JFG Incorporações deram início às obras do gigantesco Nexus Shopping & Business.

Da primeira vez que o Decreto Legislativo de autoria do vereador Djalma Araújo passou pela CCJ, Paulo da Farmácia assinou o parecer apresentado pelo vereador Paulo Borges (PR) a favor do arquivamento do projeto.