Vereadores recomendam que prefeitura não assine contrato de fotossensores

Documento assinado pelos integrantes da CEI da SMT pede que a administração espere fim das apurações do colegiado sobre o assunto

A Comissão Especial de Inquérito (CEI) que investiga possíveis irregularidades no âmbito da Secretaria Municipal de Trânsito (SMT) assinou recomendação ao prefeito de Goiânia, Iris Rezende (PMDB) para que não assine o novo contrato para implantação e gestão dos equipamentos fotossensores na capital.

O documento da recomendação apresentado em plenário nesta terça-feira (9/5) também será igualmente encaminhada ao titular da SMT, Felisberto Tavares (PR), e da Secretaria de Administração, Rodrigo Melo (Pros).

Segundo o presidente da CEI da SMT, vereador Elias Vaz (PSB), além das irregularidades apontadas no contrato com a empresa Trana, vigente entre os anos de 2010 e 2016, a comissão quer apurar também o novo contrato da prefeitura para fotossensores a ser assinado com a empresa Eliseu Kopp, vencedora do processo licitatório.

Os parlamentares levantam que “existe uma forte suspeita de conluio, cartelização e superfaturamento no preço dos serviços ofertados pela empresa ao município. A Eliseu Kopp possui histórico de condenação judicial, como proibição de firmar qualquer tipo de contrato ou receber incentivos do poder público”, diz documento apresentado.

Em 2014, o empresário Eliseu Kopp, dono da Kopp Tecnologia, chegou a ser preso pela Operação Ave de Rapina, da Polícia Federal, que investigava suposto esquema de fraude em contratos e licitações da empresa com a prefeitura de Florianópolis.

Segundo o presidente da comissão, vereador Elias Vaz (PSB), os empresários tanto da Trana, quanto da Eliseu Kopp devem ser convocados para prestar esclarecimentos à CEI da SMT, mas ainda não existem datas definidas.

“O mais correto seria que a prefeitura pudesse sair da dependência dessas empresas, que agem como uma máfia no âmbito nacional. Sai uma, entra outra, mas no final, todas são envolvidas em suspeita de corrupção”, disse Elias, que sugere que os fotossensores em Goiânia sejam operados a partir de uma parceria entre a prefeitura e o Instituto Federal de Goiás (IFG).

Além de Elias Vaz, fazem parte da comissão os vereadores Delegado Eduardo Prado (PV), que é relator, Cabo Senna (PRP), Lucas Kitão (PSL), Anderson Salles (PSDC) e Izídio Alves (PR).

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.