Vereadores reclamam de ‘inércia’ do secretário de Trânsito de Goiânia

Presidente da Câmara afirma que Fernando Santana faz o que quer, contrariando inclusive as determinações do prefeito Iris Rezende

Foto: Lívia Barbosa | Jornal Opção

O vereador Gustavo Cruvinel (PV) usou a tribuna da Câmara Municipal de Goiânia nesta quarta-feira, 14, para mostrar uma série de acidentes que estão ocorrendo em uma rotatória do Jardim Europa e pediu providências à SMT. Ele denunciou que buscou ajuda para a reformulação da obra junto ao secretário municipal de Trânsito, Transporte e Mobilidade, Fernando Santana, em abril, e não obteve retorno até hoje.

O vereador Carlin Café (PPS) fez coro à reclamação do colega e pediu providências ao secretário para um pedido feito há dois anos. “Estou na sua frente nessa fila Cruvinel”, brincou o parlamentar.

É um secretário de Trânsito que não consegue fazer faixa de pedestre

O presidente da Casa, Romário Policarpo, pediu a palavra e relatou que cobra providências do secretário desde o dia em que tomou posse. “É um secretário de Trânsito que não consegue fazer faixa de pedestre. Mas ele tem moral na prefeitura, porque o prefeito o manda fazer algo e ele não faz e ainda fala que o Iris está errado”, afirmou.

Policarpo contou ainda que há três anos os comerciantes da Região da 44 se dispuseram a pagar a obra de reestruturação do trânsito na região, que é obrigação da prefeitura, e o secretário Santana não quis. Ele também contou que nesta terça-feira, 13, foi feita uma reunião para assinatura de convênio entre os empresários da 44 e a prefeitura de Goiânia, mas Fernando Santana teria se recusado a firmar a parceria.

Travou um convênio que traria mais de 60 mil reais mensais para prefeitura fazer o que é obrigação dela

“Querem dar carro, moto, guincho, sistema de vigilância. No entanto, o Fernando alegou desconhecer o documento e falou que teria que encaminhá-lo para análise da Procuradoria. No fim, ele passou vergonha no prefeito Iris Rezende, já que o projeto é de autoria da Procuradoria. Ou seja, ele travou um convênio que traria mais de 60 mil reais mensais para prefeitura fazer o que é obrigação dela”, lamentou o presidente da Casa.

O vereador Paulo Magalhães sugeriu a criação de uma comissão de vereadores para buscar soluções em um encontro com o prefeito Iris Rezende. “Ele não nos atende, e me falaram que talvez ele seja candidato a vereador. Mas ele precisa entender que esse serviço é para o bem da população e não nosso”, emendou o vereador Cabo Sena.

A reportagem entrou em contato com a assessoria do secretário municipal de Trânsito, Transporte e Mobilidade, Fernando Santana, e aguarda posicionamento, motivo pelo qual esta matéria poderá ser atualizada. 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.