Vereadores podem encampar modelo de gestão por OSs na saúde de Goiânia

Vereadores avaliam junto às suas bases quais os possíveis reflexos de forçar o início deste debate às vésperas das eleições municipais

Pacientes esperam na fila por atendimento nas unidades de saúde geridas pela Prefeitura de Goiânia

Um grupo de vereadores da base do prefeito Iris Rezende (MDB) e também de oposição articulam a criação de uma frente em defesa da terceirização na saúde do município de Goiânia. Para esses parlamentares, o modelo de gestão por Organizações Sociais (OSs) pode trazer avanços significativos para a população.

A ideia da frente é iniciar o debate para viabilizar a criação de uma legislação específica, possibilitando a implantação das OSs na gestão dos serviços tendo como modelo a gestão do Hospital Municipal de Aparecida de Goiânia e da rede estadual.

Com a mudança, os parlamentares esperam que a saúde da capital supere o problema da falta de leitos e as dificuldades estruturais que a regulação municipal tem tido para conseguir ofertar vagas para atendimentos básicos e complexos.

No entanto, a movimentação ainda é incipiente e os vereadores avaliam junto às suas bases quais os possíveis reflexos de forçar o início deste debate às vésperas das eleições municipais de 2020. Neste momento, ninguém, quer se precipitar.

Outra preocupação é a provável resistência do prefeito Iris Rezende à ideia de terceirização da gestão na saúde, já que o gestor é centralizador.

Caso a avaliação inicial sobre o tema seja positiva, o grupo deve avançar na articulação e partir para o debate com a sociedade organizada, sindicatos, membros de grupos de interesse em geral e Executivo. Atualmente, a mudança na saúde é só uma ideia que pode decolar ou não.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.