Vereadores de Itaberaí pedem intervenção estadual no município

Justificativa para o pedido seria as constantes ações investigativas realizadas pelo Ministério Público Estadual, pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) e Polícia Civil

Câmara Municipal de Itaberaí | Foto: Reprodução / Facebook

Em documento assinado nesta quinta-feira, 8, vereadores do município de Itaberaí pedem imediata intervenção estadual, em carta destinada ao Governador Ronaldo Caiado. A justificativa para o pedido seria as constantes ações investigativas realizadas pelo Ministério Público Estadual, pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) e Polícia Civil.

As investigações por irregularidades administrativas, que envolvem o prefeito Roberto Silva e o vice-prefeito Adilson Cardoso (PSDB), é um dos motivo apontados para a elaboração do documento. Os gestores municipais de Itaberaí são suspeitos de desvio de verbas para beneficiar servidores públicos. Os recursos deveriam ser destinados para a saúde do município.

A carta ainda aponta para a presidente da Câmara Municipal, Janayna Wollp Lúcio (PTB), acusando a vereadora de ser inerte e conivente com a administração municipal, ao não exercer seu papel de fiscalização. O documento assinado ainda indica que Janayna Lúcio tem uma “enorme quantidade de cargos ocupados por seus familiares” durante o seu mandato e que isto teria sido intensificado durante o exercício da presidência da Câmara.

A ocorrência desses fatos seria obstáculos para recomposição das atividades administrativas do município, causando assim “grave crise institucional”, conforme denuncia o documento. A carta aponta que a população de Itaberaí “clama pela restauração da paz institucional” e que a ausência da mesma tem causado insegurança e afetado o livre desenvolvimento da vida da população local.

O pedido realizado pelos vereadores tem respaldo na Constituição Federal, Estadual e na Lei Orgânica nº1, do dia 31 de março de 1990, do município de Itaberaí. O documento encerra solicitando que se tomem as devidas medidas cabíveis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.