Vereadores apontam irregularidades na gestão dos recursos de combate à Covid-19 em Iporá

Dos mais de meio milhão de reais recebidos pela prefeitura de Iporá, prestação de contas se refere a pouco mais de R$ 119 mil. Ainda assim, valores declarados são tidos como suspeitos

Foto: Reprodução/Internet

Na manhã desta quinta-feira, 4, vereadores se reuniram, na Câmara Municipal de Iporá, para uma entrevista coletiva cujo objetivo era expor a dificuldade de acesso a informações que mostrem a maneira com que o prefeito Naçoitan Araújo tem aplicado os recursos recebido para combate à Covid-19.

Segundo relatado ao grupo de jornalistas, dos mais de meio milhão de reais recebidos pela prefeitura, a prestação de contas se refere a pouco mais de R$ 119 mil. Ainda assim, segundo os vereadores, os valores declarados levantam suspeitas de irregularidades.

Diante das dificuldades de acesso a informações, bem como a suspeita irregularidades cometidas durante o uso dos recursos recebidos, os vereadores ingressaram com um pedido de fiscalização por parte do Ministério Público Estadual e Federal, bem como do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM). A Polícia Civil também foi acionada pelos representantes.

Outro detalhe que chamou atenção foi que, apesar do recebimento da verba, a quantidade de medicamentos em estoque destinados às unidades de saúde do município ainda é baixa. Fato este que contradiz o que diz o que consta nas notas do Fundo Municipal de Saúde.

Mas não só: os vereadores também estranharam a aquisição de insumos por meio de uma empresa recém-criada e outros feitos via empresas de fora do município. O Jornal Opção tentou contato com o prefeito, mas até a publicação da matéria não obteve resposta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.